Página inicial > Rap > Z > Zudizilla > Quem Faz Tá Aqui (Part. Perelló)

Quem Faz Tá Aqui (part. Perelló)

Zudizilla


(perelló)
Pessoas importantes que se vão, outras vem,
Me dediquei com todas elas que eu conquistei.
Caminhos são traçados, me aproximei de vários,
Dei o meu afeto e na sequência o tapete puxado.
Desilusões da vida que me faz seguir em frente,
Não desisti, me faz um homem bem mais consciente.
De quem eu fui, quem eu sou, onde vou chegar,
Ganhar a rua é pouco, o mundo eu quero conquistar.
E assim mostrar que a vitória é pura consequência,
O berço que eu nasci me deu a força,
Me deu resistência pra encarar os obstáculos
Que tem na guerra. vários se entregam no início,
Viram só promessas.
Prodígio, não aconteceu comigo,
Tô no caminho que me traz mera noção
Que o topo é meu destino.
Sozinho ou acompanhado eu sigo evoluindo,
Fluindo rap como a mãe que protege o menino.
Pra mostrar que protejo e dou a alma por quem tá pelo correto,
Rap não se aprende na escola não.
O tempo que me traz convicção,
Se entregar pra qualquer um império cai e todos vão pro chão.
Ação, submarino não se assusta com os tubarão,
Blindado a aço, faço rima como munição jão.
O jogo é pra guerreio, falso mc não vai vingar,
Nem será verdadeiro. no foco, vou até o fim nobre,
Por que derrubar o mal me faz virar mensageiro dos fortes.
E eu sei bem quem são, os passos na calçada
Deixam marcas de quem é ou não.
Se não vem chega o seu tempo, quem faz tá aqui,
Quem tenta tá em outro meio.
Com medo, receio de chegar, cachorro bom não late,
É domado e sabe seu lugar. ? de nós, quem somos,
A rua escolheu os vagabundo pra ficar no trono.
Único dono não, mas preparado sim, se faça ?
Caminhada enfim. se for por mim os falso cai, morre,
Enquanto eu respirar ninguém irá sujar o nosso corre.
Se depender de mim cai, morre,
A luz que me ilumina sempre ofusca todos os holofotes.

(zudizilla)
Eu fiz da rima a minha nobre terapia
E quem via não diria que um dia eu chegaria a algum lugar.
Não que eu esteja longe do que eu fui um dia, ou talvez seria.
O mundo mudou, foi impossível continuar o mesmo.
Vendo os erros de quem não tem tanto amor assim,
Querendo respeito de quem nunca respeitou à mim.
Por mim pode cair o teto agora, eu tô firme como rocha,
Aprendi a me virar aqui fora. é mais difícil do que se pensa,
Cada crime uma sentença, cada escolha vai pesar no fim.
Tenta se acostumar por que não vai mudar, não vai melhorar,
A cobrança chega na porta igual conta pra pagar.
E eu não tava preparado, do contrário,
Quantas vezes rezei pra tá errado.
Pequei, fui desculpado, peguei a minha cruz,
Caminhei com esse fardo sempre em direção a luz.
Fui confundido e confundi, fudito, eis me aqui, não pedi,
Assumi e vi que precisava, achei que era simples,
Mas nem todos são assim, eu cai na armadilha
Que a vida preparava. cantava, e quando não podia, assoviava.
Criava melodia que às vezes só eu curtia,
Podia ser considerado louco ou egoísta, mas não,
Querem minhas mãos. várias vidas fecharam as saídas,
Me trancaram no meio, apagaram as luzes, fizeram um cativeiro.
Voltaram, se assustaram quando finalmente perceberam
Que eu perdi todo o medo, graças à deus.
Graças aos meus, hoje eu venho pesado e sujo,
Riscando em casa muro, eu vim pra dominar o mundo.
E não é papo de quem tá aqui só pra fazer peso e pose,
Se não tá me vendo então não tenta o close.
? hoje as calçada tem vida, cor, canta com a alma e esqueceu
Da dor. vinga, traz alivio a cada coração dessa batalha,
Mesmo na guerra um general nunca perde a calma.

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Zudizilla no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS