Página inicial > Rap > Z > Zudizilla > Fumaças e Danadas (Part. Bloodfill e Guido Cnr)

Fumaças e Danadas (Part. Bloodfill e Guido Cnr)

Zudizilla


(Refrão)
O jogo pega fogo com fumaças e danadas,
tira o pé do chão só não vai escorregar.
Tipo abdução, levanta o teto da casa,
eu tenho uma missão e não vou poder falhar.

(BloodFill)
Protesto, muda a bandeira pra puta e regresso.
Teu gesto, meu gesto é o que compõe a vida.
Justiça? Não vejo, a justiça tá perdida.
Direitos iguais, todo mundo tem, era pra ser assim,
mas não saiu bem. Mendigo na rua implorando umas merrecas,
e os deputados com os paco nas cuecas.
Roubando dimdim, roubando assim, roubando de ti,
roubando de mim. O Ju está de férias, chega até dar gosto.
Viaja pra Miami, paga com nossos impostos.
Ligo a tv, só cine privê, as puta tão dançando ao vivo no BBB.
Só mulher gostosa rebolando nas garrafa,
desce na skin e quase esfrega a ...
É só comercial, propagando da Skol.
Não sei qual mata mais, se é essa ou se é a Sol.
Tomar cerveja é bom, assim que a rede ensina.
Bebe, faz espuma, e oque sobrar tu passa a limpa.

(Guido CNR)
Vem pra cá que nós te ensina aprendizado de esquina,
conviver com adrenalina altas horas da matina.
Essa nós tira de prima, é tipo talento com as mina.
É como ser um mc, e não saber levar uma rima.
Maloqueiro aperta start que vai começar o jogo,
minha área conta strike e os boys é tacar fogo.
Tipo largado num canto, escondido, acuado.
Barba como a do Osama, e um corpo sequelado.
Enquanto isso rei do gado vai ampliando fazenda,
sociedade com prefeito é que desvia da merenda.
Ainda quer que os moleque aprenda que aqui tem educação,
meu sonho era crescer só pra ter meu próprio chão.
Meus amigos são irmãos, pros PM é facção,
eu carrego uma caneta, eles confunde com oitão.
Por isso não ergo as mãos, não me entrego pra algema,
pra cima de mim não, vou me mantendo na cena.

(Zudizilla)
Vi vários se vangloriar da guerra sem entrar na briga,
na primeira fila da infantaria,
Zudizilla das ruas de terra pra quebrar qualquer hegemonia,
pelotão dos calça larga provocando a queda da bastilha.
Convocando quem perdeu a paciência há horas,
vendo de pertinho o que ninguém de fora nota.
Acordando estilo kamikaze em cada cidadão,
cansado de ser roubado, agora ? não vem pedir pra mim,
ter calma enquanto tudo que eu tenho é raiva de quem viu menos
esforço do que eu empenho.
Em cada letra um novo furacão Katrina,
agitando quem não precisa se mexer,
devolvendo pra você em voz cuspida.
Sem mídia, nem média, fecha porta pra quem pede voto,
para o foco só pra quem lutou de verdade.
Não vale propaganda, é só viagem.
Ninguém entra nos boteco pra saber a realidade,
nem loira, nem morena, só problema e viatura.
A vida é dura, mas tem que ser maior que ela.
Se a favela pede voz eu falo, se o sistema quer silêncio eu grito.
Pelos esquecidos, eu lembro de onde vim,
pra nunca esquecer da onde vi crescer o mal,
natural pra quem sonha ter uma Kalashnikov automática,
fazer rap em tom de represália,
homem bomba não tem só na Arábia.

(Refrão)
O jogo pega fogo com fumaças e danadas,
tira o pé do chão só não vai escorregar.
Tipo abdução, levanta o teto da casa.
Eu tenho uma missão e não vou poder falhar.
O jogo pega fogo com fumaças e danadas,
tira o pé do chão, só não vai escorregar.
Tipo abdução, levanta o teto da casa.
Eu tenho uma missão, homem bomba não tem só na Arábia.

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Zudizilla no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS