Zeca Baleiro

O Desejo

Zeca Baleiro

O Disco do Ano


O tempo é cruel, mas é tudo que tenho
Tudo mais é sobra, lixo, lata
Prata barata que empenho
Sim, o tempo passa, a vida segue
N√£o estanca o corte
Hoje eu n√£o temo a morte
Azar ou sorte?

N√£o h√° luz que me cegue
Nem h√° luz que eu siga
Estou só à beira do caminho
A solidão é minha amiga
L√° fora a luz de outono invade a cidade
Lá fora é onde a vida pulsa, inculta e bela
Comédia grega, tragédia russa

Eu estou lá e ouço o alarido surdo
O estampido seco das ruas
Esquinas, vielas
Enquanto você guardado por deus
Conta seus metais por detr√°s das janelas

Você faz planos, planeja
Deseja, o desejo sangra
Quer uma casa em Angra
Quer carro, ipad, família
Filhos na universidade

Você quer rezar, mas para quem?
Se os deuses est√£o mortos
N√£o h√° mais divindade, ritos
Ninguém pra ouvir você no confessionário
Na noite escura, gelada, vazia
Contando os seus pecados sem perd√£o
Sua omiss√£o por n√£o dar a m√£o
Ao irm√£o que precisa de cigarros
Comida, √°gua, consolo, camisa

Tanta pobreza humilhada
Tanto canalha no topo
Você é feliz, ma non troppo
Porque nenhum bem lhe basta
E a falta, a falta, a falta
A falta, sua vida devasta

Você faz planos, planeja
Deseja, o desejo sangra
Quer uma casa em Angra
Quer carro, ipad, família
Filhos na universidade

Seu orgulho te traiu e te jogou no ch√£o

No Arizona a bandeira subvertendo a quest√£o
A marcha da falência dos valores da nação
E quando o salvador é o próprio vilão
Ele salva o velho mundo
Com uma bala de canh√£o, bum!

Eu sou cachorro louco
Que anda solto pelo mundo
Sem tempo pra ser nada
Além de vagabundo
Eu vou com a galera
Até o topo do mundo
Zeca Baleiro e Charlie Brown, uh!
Quebrando tudo

Você se olha no espelho
E vê que tudo é mentira
A vida é uma mentira
Felicidade, mentira
O amor, mentira covarde
Olha pro relógio
E vê o quanto é tarde
Tarde demais pra ser feliz
Seu corpo clama por calma
Mas em sua alma
Quanta ferida sem cicatriz

Quem tudo quer nada tem
Dizia o cego na porta da igreja
Se a paix√£o morreu
Diga amém! e assim seja
Pra todo mal vem o bem
E tudo mais
Nessa dura, dura peleja

Você faz planos, planeja
Deseja, o desejo sangra
Quer uma casa em Angra
Quer carro, ipad, família
Filhos na universidade

Você faz planos, planeja
Deseja, o desejo manda
Quer ter guitarra e banda
Ir à hangares, jantares
Adular endinheirados

No silêncio da noite sem sono
Você se sente como um cão sem dono
E se pergunta o que restou do amor
Do sonho, pura ambição
Só suor, lágrimas, sangue
Perda, pó e solidão
E pra dor que rói a carne tesa sob a pele fina
Não há um só remédio em toda medicina

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta m√ļsica

Ou√ßa esta√ß√Ķes relacionadas a Zeca Baleiro no Vagalume.FM
ESTA√á√ēES
ARTISTAS RELACIONADOS