Página inicial > Rap > X > Xará > Estação Quinze Parte Ii

Estação Quinze Parte Ii

Xará


1° Verso
Aí, chega e se acomoda hoje a viagem vai ser longa
Liberdade "ô" droga do inferno pra dar onda
Então vem, não deixa tuas raízes serem fardo
Faz igual Islã pra Meca se curva filho ingrato

É quase uma missão vim pra descrever o mundo
Eu vejo em cada olhar uma cena de filme mudo
Tem corte, ritmo, teor tipo íntimo
Guardando segredos vão prum desfecho típico

Ah, hoje fez aquele sol
Lembrei da Alvorada 95, terminal
Consequentemente, eu me pergunto o que é fundamental
Falei que não ia esquecer, né? Um salve meu parceiro Sal

A vida traz momentos bons é bom lembrar
Arrependimento e reações também é bom lembrar
Campinho eu tenho todo mapeado
Estilo Prison Break, eu trago o corpo tatuado

Reverência ao tempo, Luzes da Ribalta
Olhos no asfalto, a realidade quase salta
Força pra entender, resistir, confrontar
Espírito sem luz vai pede pra parar

Refrão
Eu sei, estamos de encontro à maré
É a força que vem da raiz, tenta entender
Demandas tem, arrastaram as correntes pra cá
A essência da lágrima é o mar, querem ofusca

2° Verso
Adivinha, som de campainha, 7h
Portadoras da anunciação: 3 senhoras
Acordado, eu tô, só que eu vou ignorar
Aqui ninguém vê nada, menos as testemunhas de Jeová

Povo sofredor e reincidente no pecado
João 3: 16, deu filho de recado
Nas camisas vem escrito: "saudade eterna"
Promiscuidade, segundo nome dessa terra

Darwin, espécies em evolução provada
A seleção natural, aqui as minas mais boladas
Celulares touchscreen, fita dominada
Imposição aceita de consumo, dobram a jornada

Quer trabalho? Tem trabalho, aceita e se conforma
Os Che Guevara acordam resistência e dormem na marola
Aqui é tudo singular, único só vim pra ver
O senso vem catalogar e volta sem entender

Refrão
Eu sei, estamos de encontro à maré
É a força que vem da raiz, tenta entender
Demandas tem, arrastaram as correntes pra cá
A essência da lágrima é o mar, querem ofusca

3° Verso
Exército de motoboys, um salve a guerra fria
Quem viver verá, é nós, um leão por dia
Tropa inimiga lembra Havita e Sensação
Máscara e casaca aqui só tem soldado bom

Olhos tem, luzes tem, tem ostentação, irmão
Covardia tem também só não lança mão
Porque mexeu com que não é seu, é bom ter jeito de repor
Quem não guia a massa aqui no bonde amigo, é cobrador

Um toldo, uma escada e neon é puteiro
Amantes de aluguel e filhas do desespero
São meninas cada uma com a história mais louca
Escuta e sente o drama, é pra nunca beijar na boca

Eu sei que um dia 'cê me disse que horários alterados são
Fugas pro meu medo, é que nem sempre é verão
A noite eu vou compondo, recriando o que ficou
Mudaram as estações e aqui nada mudou

Refrão
Eu sei, estamos de encontro à maré
É a força que vem da raiz, tenta entender
Demandas tem, arrastaram as correntes pra cá
A essência da lágrima é o mar, querem ofusca

Compositor: Xará part. Daúde

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Xará no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS