Página inicial > Rap > V > Visão de Rua > Eles Falam de Paz

Eles Falam de Paz

Visão de Rua

O Poder Nas Mãos


A cada dia que passa o mundo fica mais perigoso...
Cheio de ódio, miséria,
Políticos desonestos, líderes religiosos, hipócritas e
criminosos.
Mais ainda que se demore,
A justiça divina não tardará aos que justo forem.
Deus enxugará dos seus olhos toda a lágrima,
E não haverá mais morte, nem clamor, nem prantos e nem
dor.


(refrão)
Meu coração está enfermo, cheio de mágoa,
desconfiança...
Eles dizem que há paz, quando não há.
Lobos em pele de ovelha mansa.
O amor da maioria esfriará,
Assim está escrito, assim será.
Eles falam de paz mas,no seu intimo arma uma
emboscada.
Eles falam de paz quando não há!


Eles falam de paz mais no seu intimo arma uma
emboscada,
Mais eu posso sentir os perigos da guerra, não
declarada!
É uma guerra fria, Uma disputa violenta sobre
ninharia.
Sabem que o mundo vai de mau á pior, Vivemos nos
últimos dias.
Difícil de manejar, difícil agüenta,
Difícil é não deixar o mau que há no mundo me amargar.
Difícil é se livrar das amarras, das algemas.
É demodê esse sistema caminha em busca de alguém pra
devorar!
Tem que se opor, e ele fugirá.
Tem que descer de cima do muro, do mau o caminho
recuar...
Tem que vencer o seu lado inseguro, o seu medo tem que
enfrentar!
É uma longa batalha, é uma luta diária.
Ser sóbrio e não se rebelar contra mim, Se drogar...
Não!
Tem que viver. Tem que se amar, tem que querer se
ajudar.
Tem que correr. Tem que suar, pra alcançar nessa vida
um lugar.
E não retroceder.
Pôr fé em Jeová ele não tardará!
Ele vai pôr um fim em toda a maldade que há, e as
enfermidades curar!


(refrão)
Meu coração está enfermo, é para traz que estão
andando.
Eles dizem que há paz, quando não há.
Tem um mundo de guerra, um mundo de terra chorando.
O amor da maioria esfriará,
Assim está escrito, assim será.
Eles falam de paz mas,no seu intimo arma uma
emboscada.
Eles falam de paz quando não há!



Eles falam de paz, falam de amor com ódio no coração.
Eles andam para trás, guardam rancor, usam o nome de
Deus em vão.
Eles matam na covardia, eles ficam impunes, eles tem
regalias.
Sabe que o mundo vai de mau á pior, Vivemos nos
últimos dias.
Senhor, minha mãe é minha dor.
E foi assim, tiraram um pedaço de mim, A luz da minha
alegria apagou!
A saudade me faz sofrer, o que me conforta é saber...
Há de haver uma ressurreição, e que um dia ela há de
voltar á viver.
A impunidade mata muita gente,
E mais uma bala perdida se aloja, numa vida inocente.
Colapso, moral, Manos com um extinto animal.
Cada vez mais feroz, sem autodomínio, sem a feição
natural!
Ainda entendo o mar, e as pessoas de bem.
Vejo o mal dominar e se Deus demorar maluco não sobra
ninguém!
Mais o mundo não acaba aqui, o mundo ainda está de pé.
Enquanto eu tiver vida, levarei comigo esperança e fé!


(refrão)
Meu coração está enfermo, cheio de mágoa,
desconfiança...
Eles dizem que há paz, quando não há.
Lobos em pele de ovelha mansa.
O amor da maioria esfriará,
Assim está escrito, assim será.
Eles falam de paz mas,no seu intimo arma uma
emboscada.
Eles falam de paz quando não há!

Compositor: Viviane Lopes Matias (dina Di)

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Visão de Rua no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS