Flor Proibida

Sulino e Marrueiro


Se estas minhas palavras
Por vocĂȘ for compreendida
É fácil de adivinhar
A dor que eu trago escondida

Por teu amor impossĂ­vel
Como uma flor proibida
Este segredo eu carrego
Mas de lutar nĂŁo sossego
Enquanto nĂŁo te ver vencida

Meu destino estĂĄ ligado
Ao teu nome, Aparecida
Que apareceu de repente
Na estrada de minha vida

Meus dias se transformaram
Em noite negra e comprida
Quando nĂŁo te vejo perto
Sinto no peito um deserto
Sem nunca encontrar saĂ­da

NĂŁo Ă© somente amizade
Que eu sinto por ti, querida
É um grande amor e paixão
Que nĂŁo foi correspondida

Sofro muito sĂł porquĂȘ
VocĂȘ Ă© comprometida
O nosso amor Ă© pecado
Por isso eu sofro calado
Até o fim de minha vida

Se eu nĂŁo realizar meu sonho
Venho dar-lhe a despedida
Vou me arrastando pro mundo
Igual as folhas caĂ­das

Que as enxurrada carrega
Por entre os mares da vida
Quando estiver na distĂąncia
Eu levarei na lembrança
O teu nome, Aparecida

(Pedro Paulo Mariano - Santa Maria da Serra-SP)

Compositor: José Fortuna e Zé Carreiro

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Sulino e Marrueiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS