Flor do Desprezo

Sulino e Marrueiro


Aquele buquĂȘ de flores
Que eu te dei com carinho
Colhi nas verdes campina
Onde canta os passarinho

VocĂȘ jogou com desprezo
Beirando aquele caminho
Eu banhei todas de pranto
Quando ali chorei sozinho

NĂŁo sei se foi do meu pranto
Ou da neblina caĂ­da
Em pouco tempo a semente
Daquelas flores sem vida

Da terra nasceu viçosa
E hoje Ă© conhecida
Aquele pé de camélia
Beirando a estrada florida

Quando com outro casar-se
Peço que seja enfeitada
Sua grinalda de noiva
Com as flor branca da estrada

As mesmas flor que um dia
Por vocĂȘ foi desprezada
E reviveu da saudade
No caminho abandonada

NĂŁo colha todas as flores
Que encontrar desabrochada
Deixa pra mim um pouquinho
Das camélias perfumadas

Quando eu deixar essa vida
Peço que seja enfeitada
A lousa fria da campa
Da minha eterna morada

(Pedro Paulo Mariano - Santa Maria da Serra-SP)

Compositor: Sulino e José Fortuna

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Sulino e Marrueiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS