Cruz da Pousada

Sulino e Marrueiro


Quando eu vejo uma cruz na estrada
Sinto na alma triste solidĂŁo
Porque me lembro da cruz da pousada
Que bem distante deixei no sertĂŁo

Aquela cruz que ali estĂĄ fincada
Apodrecendo como o pĂł do chĂŁo
Tem uma histĂłria que ficou gravada
Eternamente em meu coração

Em poucas linhas eu vou lhes contar
A triste histĂłria que esta cruz encerra
Hå muito tempo um vaqueiro moço
Da peonada o mais querido era

Numa pousada que ali fizero
Lå na aguada bem no pé da serra
Uma serpente destruiu pra sempre
Aquela vida cheia de quimera

Chorando a morte do menino moço
Naquela cruz gravei um letreiro
Aqui repousa um herĂłi do campo
Que foi outrora um bĂŁo companheiro

Dali parti pensando comigo
Eu vou deixar de ser boiadeiro
Mas quem nasceu e se criou na lida
É do destino eterno prisioneiro

Compositor: Sulino

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Sulino e Marrueiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS