• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • PLAY

    Encontrou algum erro na letra ou tradução? Colabore com a gente clicando nas frases abaixo ou enviando uma correção completa »
    The Power Of One
    Speaking
    My father's land
    My mother's tongue
    Misleading me
    so shamelessly
    For many years I misbelieved
    The hatred is the path for me

    Father I have killed many angels
    I think
    I will now walk to the sea
    I hope I will someday forgive me
    Please moor my empty boat on a pier

    I can blame for the blue blood that runs in my veins
    But I seem to forget that we are all the same

    In your own blaze of hate you've spawn a fear in many lifes
    You've taken action thinking it was all said on the signs
    You cannot heal the feeling burning deep inside your spine
    You now collapse, cave in revealing scabby marks of life

    Mother I've seen too much, I hate to live my life
    Forgot every word you told me, stubborn little child, (angel of your life)
    I have to find my Eden now, the gates I left behind
    But the pain will remain
    No power to gain

    Now I have time to dwell on, self awareness, dreadful crime
    I saw the colors too bright, not knowing that I was blind
    I slayed a man who took a chance and drank the forbidden wine
    The map I draw reveals that I have been complete, machine, in team

    Father I've seen too much, I hate to live my life
    Forgot every word you told me, stubborn little child, (angel of your life)
    I have to find my Eden now, the gates I left behind
    They will remain
    No power to gain no

    Mother where's your son
    When has this begun?
    Who has been the fool?

    No one was born to be a servant or a slave
    Who can tell me the color of the rain?
    In the world that we live in, the things said and done
    They can well overrun
    the power of one

    No one was born to be a servant or a slave
    Can you tell me the color of the rain?
    In the world that we live in, the things said and done
    They can well overrun
    the power of one

    To live and let die
    To give hope and take life
    Is that what you're here for?

    To think that you are right
    To make sure it won't fly
    It's a making of a hate crime

    In the homes of the brave
    In the homes of the land slaves
    We are all the same

    I need to believe
    There's more than the eye can see
    All colors of rainbow

    No one was born to be a slave
    Seek the past and place the blame
    Tell me the color of the rain
    No one was born to be a master

    In the land we live, we die
    praise the oneness, praise the lie
    To bind a web around the faker
    We will need a true Rainmaker

    No one was born to be a slave
    Seek the past and place the blame
    Tell me the color of the rain
    No one was born to be a master

    Speaking
    Children of Abel, Children of Cain
    Can live in harmony, without shame
    The keys that I grant thee, The Sacret Land
    Are dry desert sand on the palm of your hand
    Without the water, the wisdom of past
    Will run through your fingers, forgotten so fast
    Thus now when I leave you, I'm truly blind
    This blindness, this blessing, the hope of mankind
    The Power Of One tradução
    Falando
    A terra do meu pai
    A língua da minha mãe
    Desviando-me
    Sem vergonha
    Por muitos anos eu fui enganado
    O ódio é o caminho para mim

    Pai eu matei muitos anjos
    Eu acho
    Agora andarei para o mar
    Espero que algum dia eu me perdoe
    Por favor, atraque meu barco vazio num píer

    Eu posso culpar pelo sangue azul que corre nas minhas veias
    Mas eu pareço esquecer que somos todos iguais

    Na sua própria chama de ódio você gera o medo em muitas vidas
    Você agiu pensando que estava tudo dito nos sinais
    Você não pode curar o sentimento que queima dentro de sua espinha
    Você agora entra em colapso, desmaia revelando as marcas desprezíveis da vida

    Mãe eu vi muita coisa, eu odeio viver minha vida
    Esqueci cada palavra que você me disse, criança pequena teimosa (anjo da sua vida)
    Eu tenho que achar meu Éden agora, os portões que deixei pra trás
    Mas a dor continuará
    Nenhum poder para ganhar

    Agora eu tenho tempo para ponderar, auto-conhecimento, crime terrível
    Eu vi as cores muito brilhantes, sem saber que eu estava cego
    Eu matei um homem que se arriscou e bebeu o vinho proibido
    O mapa que eu desenhei revela que eu fui completo, máquina, em equipe

    Pai eu vi muita coisa, eu odeio viver minha vida
    Esqueci cada palavra que você me disse, criança pequena teimosa (anjo da sua vida)
    Eu tenho que achar meu Éden agora, os portões que deixei pra trás
    Mas a dor continuará
    Nenhum poder para ganhar

    Mãe, onde está seu filho?
    Quando isso começou?
    Quem tem sido o tolo?

    Ninguém nasceu para ser um servo ou escravo
    Quem pode me dizer a cor da chuva?
    No mundo em que vivemos, as coisas ditas e feitas
    Podem muito bem ultrapassar
    O poder de um

    Ninguém nasceu para ser um servo ou escravo
    Você pode me dizer a cor da chuva?
    No mundo em que vivemos, as coisas ditas e feitas
    Podem muito bem ultrapassar
    O poder de um

    Viver e deixar morrer
    Dar esperança e tirar a vida
    É pra isso que você está aqui?

    Pensar que você está certo
    Ter certeza que não vai voar
    Está fazendo um crime de ódio

    Nos lares dos bravos
    Nos lares das terras escravizadas
    Somos todos iguais

    Eu preciso acreditar
    Há mais do que os olhos podem ver
    Todas as cores do arco-íris

    Ninguém nasceu pra ser um escravo
    Procure no passado e coloque a culpa
    Me diga a cor da chuva
    Ninguém nasceu pra ser um mestre

    Na terra que vivemos, nós morremos
    Louve a unidade, louve a mentira
    Para prender o mentiroso com uma rede
    Nós precisaremos de um verdadeiro "Fazedor de chuva"

    Ninguém nasceu pra ser um escravo
    Procure no passado e coloque a culpa
    Me diga a cor da chuva
    Ninguém nasceu pra ser um mestre

    Falando
    "Filho de Abel, filho de Cain
    Podem viver em harmonia, sem a vergonha
    As chaves que eu lhes dei, a Terra Sagrada
    São areia seca do deserto na palma de suas mãos
    Sem a água, a sabedoria do passado
    Escorrerá pelos seus dedos, esquecida tão rápido
    Assim, quando os deixo, estou realmente cego
    Essa cegueira, essa benção, a esperança da humanidade... "




    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Sonata Arctica

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.