Que Voy A Hacer Conmigo (tradução)

Ricardo Arjona

Del Otro Lado Del Sol


I Gonna Do Me


Agora que você não está, "Casa" a escrevo sem "C" (correlação)

e a palavra "amor", a mudei por "dor"

É tão pobre meu presente que se endivida sonhando

e é tão rico o passado que ainda sigo lembrando

Agora que você não está, estou abandonado

como um vidro de bronzeador em casa de esquimós

Meu horóscopo diz: "São problemas astrais... "

e tristeza está em casa abrindo sucursais

E o nosso quarto é armazém de memórias

e nossa mesa aeroporto de moscas

e nossa cama é um imenso deserto

com vida e energia dos mortos

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Quão difícil é descarregar com meu pior inimigo nas costas

Vivendo de perguntas onde não há respostas

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Solidário corruptor de meus momentos plácidos

Canalha, inventor das minhas tragédias épicas

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Agora que você não está, o silêncio é um ruído

que machuca lentamente meus ouvidos

Eu decidi se fiel, mesmo que se importe pouco

E há algo de sua pele em tudo que eu toco

e nossa cama é um imenso deserto

com vida e energia dos mortos

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Quão difícil é descarregar com meu pior inimigo nas costas

Vivendo de perguntas onde não há respostas

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Solidário corruptor de meus momentos plácidos

Canalha, inventor das minhas tragédias épicas

O que vou fazer comigo, agora que você não está

Agora que você não está

Que Voy A Hacer Conmigo


Ahora que no estás, "Hogar" lo escribo sin "H"

y la palabra "Amor" la cambié por "Dolor".

Es tan pobre mi presente que se endeuda soñando

y es tan rico el pasado que aún sigo recordando.

Ahora que no estás, estoy abandonado

como un bote de bronceador en casa de esquimales.

Mi horóscopo dice: "Son problemas astrales..."

y la tristesa está en casa abriendo sucursales.

Y nuestro cuarto es almacén de recuerdos,

y nuestra mesa es aeropuerto de moscas,

y nuestra cama es un inmenso desierto,

con la vida y la energía de un muerto.

Qué voy a hacer conmigo...

Qué difícil descargar com mi pero inimigo a cuestas.

Viviendo de preguntas donde no hay respostas.

Qué voy a hacer conmigo...

Solidario corruptor de mis momentos plácidos,

Canalla, inventor de mis tragedias épicas

Qué voy a hacer conmigo, ahora que no estás...

Ahora que no estás el silencio es un ruido

que lastima lentamente mis oídos.

Me dio por serte fiel, aunque te importe poco.

Y hay algo de tu piel en todo lo que toco.

y nuestra cama es un inmenso desierto,

con la vida y la energía de un muerto.

Qué voy a hacer conmigo...

Qué difícil descargar com mi pero inimigo a cuestas.

Viviendo de preguntas donde no hay respostas.

Qué voy a hacer conmigo...

Solidario corruptor de mis momentos plácidos,

Canalla, inventor de mis tragedias épicas.

Qué voy a hacer conmigo...

Ahora que tú no estás...

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS