Andar A Pé

Renato Teixeira


Andar a pé, ir em frente
Nas ondas dos ventos, nas ondas

Somos a soma dos tempos
O justo momento do recomeçar
Subir nos ares, lugares, paisagens, instantes
do pensamento

E se acontece, se eu fosse o amor natural,
da sua vida

Ah,
Nem que eu fosse o mais louco cantor,
o mais triste poeta, não diria

Não,
Dessa água eu não quero, não bebo, não provo
Eu não beberia

Todo silêncio do mundo
Não vale o segundo de um beijo
Nem a magia profunda
Tem a ousadia do amor ao chegar

Sonhar futuros instantes paixões que navegam
O dia-a-dia
E se o mistério de tudo, fundão, imprevisto
Virar poesia

Ah,
Nem que eu fosse o mais louco cantor,
o mais triste poeta, não diria

Não,
Dessa água eu não quero, não bebo, não provo
Eu não beberia

Ah,
Nem que eu fosse o mais louco cantor,
o mais triste poeta, não diria

Não,
Dessa água eu não bebo, não provo, não provo, não provo...
Eu não beberia

Andar a pé, ir em frente
Nas ondas dos ventos, nas ondas

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Renato Teixeira no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS