• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Informações do Álbum Krig-há, Bandolo!
    1. Introdução: Good Rockin' Tonight
    2. Mosca na Sopa
    3. Metamorfose Ambulante
    4. Dentadura Postiça
    5. As Minas do Rei Salomão
    6. A Hora do Trem Passar
    7. Al Capone
    8. How Could I Know (love Was to Go)
    9. Rockixe
    10. Cachorro-Urubu
    11. Ouro de Tolo
    12. Caroço de Manga - Bônus
    13. Loteria da Babilônia - Bônus
    14. Ouro de Tolo - Bônus

    x
    Ver discografia completa »
    Play
    PLAY

    Eu devia estar contente
    Porque eu tenho um emprego
    Sou um dito cidadão respeitável
    E ganho quatro mil cruzeiros por mês

    Eu devia agradecer ao Senhor
    Por ter tido sucesso na vida como artista
    Eu devia estar feliz
    Porque consegui comprar um Corcel 73

    Eu devia estar alegre e satisfeito
    Por morar em Ipanema
    Depois de ter passado fome por dois anos
    Aqui na Cidade Maravilhosa

    Ah! Eu devia estar sorrindo e orgulhoso
    Por ter finalmente vencido na vida
    Mas eu acho isso uma grande piada
    E um tanto quanto perigosa

    Eu devia estar contente
    Por ter conseguido tudo o que eu quis
    Mas confesso abestalhado
    Que eu estou decepcionado

    Porque foi tão fácil conseguir
    E agora eu me pergunto: E daí?
    Eu tenho uma porção de coisas grandes
    Pra conquistar, e eu não posso ficar aí parado

    Eu devia estar feliz pelo Senhor
    Ter me concedido o domingo
    Pra ir com a família ao Jardim Zoológico
    Dar pipoca aos macacos

    Ah! Mas que sujeito chato sou eu
    Que não acha nada engraçado
    Macaco praia, carro, jornal, tobogã
    Eu acho tudo isso um saco

    É você olhar no espelho
    Se sentir um grandessíssimo idiota
    Saber que é humano, ridículo, limitado
    Que só usa dez por cento de sua
    Cabeça animal
    E você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial
    Que está contribuindo com sua parte
    Para nosso belo quadro social

    Eu que não me sento
    No trono de um apartamento
    Com a boca escancarada cheia de dentes
    Esperando a morte chegar

    Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
    No cume calmo do meu olho que vê
    Assenta a sombra sonora de um disco voador

    Eu que não me sento
    No trono de um apartamento
    Com a boca escancarada cheia de dentes
    Esperando a morte chegar

    Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
    No cume calmo do meu olho que vê
    Assenta a sombra sonora de um disco voador

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Raul Seixas

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.