Raul Seixas
Página inicial > Rock > R > Raul Seixas > Banquete de Lixo

Banquete de Lixo

Raul Seixas

Panela do Diabo (Com Marcelo Nova)


Às 3 horas da manhã na cidade tão estranha
Um palhaço teve a manha de um banquete apresentar
E era um latão de lixo transbordando em Nova Iorque
catchup e caviar

E eu dormindo embriagado, um par de coxas do meu lado
E eu sem saber se devia ou não tocar
Se era estrangeira, mãe, esposa ou outra besteira
Que eu inventei de aprontar

O hoje é apenas um furo no futuro

Por onde o passado começa a jorrar
E eu aqui isolado onde nada é perdoado

Vi o fim chamando o princípio pra poderem se encontrar


Fui levado na marra, pois enfermeiro quando agarra
É que nem ordem de prisão
A ambulância me esperava, e aí o que rolava,
internamento e injeção

E lá em Serra Pelada, ouro no meio do nada
Dor de barriga desgraçada resolveu me atacar
O show estava começando e eu no escuro me apertando
E autografando sem parar

O hoje é apenas um furo no futuro

Por onde o passado começa a jorrar
E eu aqui isolado onde nada é perdoado

Vi o fim chamando o princípio pra poderem se
encontrar

Muitas mulheres eu amei e com tantas me casei
Mas agora é Raul Seixas que Raul vai encarar
Nem todo bem que conquistei, nem todo mal que eu
causei
Me dão direito de poder lhe ensinar

Meu amigo Marceleza já me disse com certeza
Não sou nenhuma ficção
E é assim torto de verdade com amor e com maldade
Um abraço e até outra vez

O hoje é apenas um furo no futuro

Por onde o passado começa a jorrar
E eu aqui isolado onde nada é perdoado

Vi o fim chamando o princípio pra poderem se encontrar

Compositor: Raul Seixas/Marcelo Nova

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Raul Seixas no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

ESTAÇÕES

ARTISTAS RELACIONADOS