• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Informações do Álbum Crise
    Crise
    Ouvir álbum completo Crise Ano de lançamento: 2018
    1. Música de Guerra
    2. Estereótipo
    3. Sem Sorte
    4. Primeira Diss
    5. Musashi
    6. Química
    7. Bilhete 2.0
    8. Mal com o Mundo
    9. Se Tudo Der Errado Amanhã
    10. Pés na Area (Promessas)

    x
    Ver discografia completa »
    Play
    PLAY

    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Deu pra entender, deu pra entender
    Deu pra entender qual que é?

    Menino magrelo da norte
    Sua vida é um fio no novelo
    Sem sorte no pesadelo
    Sem grana até pra um corte de cabelo
    Cercado de gente que julga
    Me sentindo numa corte sem apelo
    Pensando mais quantos deserto
    Eu vou atravessar com esse peso, tipo camelo
    Sem bem que não devo nada a ninguém
    E se eu dever, pode me cobrar
    Porque eu sou o que eu sou, com plata ou sem
    Rua até memo sem ter ninguém pra olhar
    Sempre tem aquele que critica, ok
    Afinal falador tá aí pra falar
    Quero ver começar como eu comecei
    E ainda assim conseguir força pra chegar
    Minha sorte nunca veio forte
    Não cavei cova, pra mim ok
    Também não conformei
    Sei de lei o que esperam de mim é fei
    Essa eu não comprei
    Logo deparei, teste por mim ok
    Na febre contornei
    Ferve o sangue, ei
    Leve caminhei
    Plebe erguerei
    Jab esquivei [?]
    Transformei servos em reis
    Vou pregar liberdade
    Invés de prender o meu povo de vez
    Lucidez de quem viveu correndo na rua
    Bem mais que uma harley
    Minha batalha vem antes do rap
    Minha vida sempre foi freestyle
    Quem conhece bem a derrota
    Valoriza quando chega à vitória
    Orgulho que agora brota
    Faz a vergonha parecer irrisória
    Sorriso, ora
    Afinal conseguimos chegar sem atalho
    Tem quem chame de sorte, mas não tem jeito
    Nome disso é trabalho

    Eu sou milagre de bombeta e moletom
    A história triste que terminou bem
    Era o sofrido e agora é o sangue bom
    Pois lá em cima por mim tem alguém

    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Deu pra entender, deu pra entender
    Deu pra entender qual que é?

    Apanhar da vida me fez mais forte
    Botei minha cara igual youtuber
    Guardei meu tesouro, carro-forte
    Eu mesmo piloto, isso aqui num é uber
    E as curvas erradas que eu fiz
    Que me levaram a novos caminhos
    Infeliz percebi que a vitória
    E o sacrifício são bons vizinhos
    Tonto, fui a ponto de ir pro toco
    Quase renegar minhas escolhas
    Mas não conto com trevo de quatro folhas
    Meus pontos são contos e fato em folha
    No ato, faço a minha sem olhar pro lado
    Meu chegado, a inveja
    Atrapalha mais o invejoso do que o invejado
    E eles dizem: seu som é pesado, nego
    Esse é o resultado do trabalho árduo
    Não é meu som que é pesado
    É só que ele reflete o peso do meu fardo
    Até por isso eu não tardo
    Pelos raros que tavam quando era quebrado
    Fiz um game arriscado
    Foi tipo jogar bola num campo minado
    Subestimaram outro menor bolado
    Tão pobrezinho, onde pode parar?
    Hoje tem tanta gente torcendo por mim
    Que eu me sinto um time da série a
    Meu bê-a-bá vem de um lugar
    Onde o recurso é precário
    Minhas palavras têm tanta verdade
    Parece que vieram de outro dicionário
    Mano, eu garimpei, quase desisti
    Nada encontrei, mas eu insisti
    Desacreditei, mas em riste investi
    Porque é triste seu talento morrer
    Enquanto o resto do mundo assiste
    Decidi: vou correr
    Não esperar pra saber se a sorte existe
    Coração indica, mente rica
    Real que vê real se identifica
    Quem não bota fé, crucifica
    Mas quem rega o pé, multiplica
    Acredita em nascer pra ser
    Fazer coisas que o acaso não explica
    Tem quem chame de sorte
    Só que eu penso o contrário
    Eu sou zika

    Eu sou milagre de bombeta e moletom
    A história triste que terminou bem
    Era o sofrido e agora é o sangue bom
    Pois lá em cima por mim tem alguém

    [refrão]
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Eu não tenho sorte, eu tenho fé
    Deu pra entender qual que é?
    Deu pra entender, deu pra entender
    Deu pra entender qual que é?

    Letra enviada por Alisson
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Rashid

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.