• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Ressureto dentre os mortos espirituais

    No que acredito, insisto, repito você já sabe
    Estamos com Jesus e aqui ninguém abre
    Vejo tornando mais justa a luta contra o pecado
    De quem nasceu pra dominar não pra ser dominado
    Bebendo do cálice do todo poderoso
    Modificando, sufocando a carne pouco a pouco
    Como que por escrito meu ser resiste
    Submissão e obediência mantêm minha alma livre
    Enquanto a mente habita na vontade de Deus
    Fora do alcance do traíra bem seguro estou eu
    Velhos erros do passado que não cometo de novo
    Comédias, fariseus dizem que estou ficando louco
    Sobre o homem há duas forças
    Somente uma se manifesta
    Ou a verdade de Deus ou a mentira das trevas
    O lado dos vencedores, sei que fiz a escolha certa
    Infelizmente já conheci o outro lado da moeda
    97: minha fé agoniza
    Minha alma não respira por muitos e muitos dias
    98: muitos duvidam
    Quase ninguém acredita. Não boto fé! Será possível?
    Sou eu mesmo, Isaias

    Ressurreto dentre os mortos espirituais
    Ressurgindo do sepulcro da carne, das razões pessoais
    Segundo round nocaute, tática da luta
    Convêm que Cristo cresça e que eu diminua
    A serviço de Deus pra servir meus irmãos
    Pro desespero do inimigo, com dobro da unção
    O prazer do dinheiro não me impressiona
    O poder da violência não me deixa em coma
    Quero minha obra aprovada no dia do julgamento
    Edificação de ouro sobre um único fundamento
    Sem glória, sem premio, sem platéia pra gritar
    Aqui quem está falando é o governante milenar

    Olhe bem e verás que ainda estou vivo
    Não cante vitória, ainda não acabou
    Novo ser renasceu a serviço de Cristo
    Resistência da fé, a guerra só começou

    Eu mesmo faço minha proteção
    Cara no pó, joelho no chão
    Pede perdão, libera perdão
    O pilantra ficou sem habilitação
    O pilantra ficou sem habilitação
    Doido pra eu dar um vacilo, meu sangue que beber
    Mas esse gosto eu não dou, demônio nenhum vai ter
    Está indignado pois posso ver os seus passos
    Tenta armar pra me pegar mas eu sempre escapo
    Está a minha mercê, pensa que eu não percebi
    Agora tá empenhado, pensa que eu esqueci
    Quantas famílias destruídas, quantos manos enganados
    Por esses serem malignos, seu sangue derramado
    Está cercado, tudo depende de uma só palavra
    Se liberado por meus lábios o anjo te esmaga
    Quem diria chegou a hora que tu mais temia
    Vai ser lançado no abismo lugar de agonia
    Criatura maldita de você não sinto pena
    Fogo do céu sobre esse imundo
    Em nome de Jesus...
    Queima!!!

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Provérbio X

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.