• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    O silencio do gelo que congela o sentimento fico tenso
    e choro à quase todo mometo
    Será que sou cupado sinceramente não sei
    no presente ou no passado a onde foi que errei
    fico tenso e penso nos que estão ao meu redor
    pessimismo e maldade o dia enteiro e só
    muitos dizem que a vida é uma caixa de surpresa
    outros que uma caçada e que nos somos a presa
    então você se pergunta da onde vim pra onde vou
    será que existe um Deus qual o motivo da dor
    a idolatria brotou e trouxe seu argumento
    apostasia da fé resulta no seu lamento
    o sofrimento de ter que caminhar sozinho
    o sofrimento de ser piada dos inimigos
    o andamento dos planos
    caminho em passos mais fracos
    me sinto no abandono escravo do meu passado

    o vento sopra tentar me derrubar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá
    minha mente endoida não sabe onde estar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá

    veja só sente só o B.Ó das cinsas as cinsas
    do pó ao pó mi vi tive até dó eu me senti tão só minha fala deu um nó mano mó dó
    olho no espelho e não me reconheço
    faço um apelo recebo desprezo
    me sinto preso a mim mesmo
    não sei meu endereço
    será que vou subir vou descer vai saber
    a tempestade é forte tenta me derrubar
    procura-se um alguém pra poder se escorar
    mano que treta to em um beco sem saída
    eu que tava firme mas dei uma recaída
    voltei pra cá me deixei levar
    me acomodei e desisti de lutar
    to respirando mas preciso de socorro
    alguém me ajude se não eu morro

    o vento sopra tentar me derrubar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá
    minha mente endoida não sabe onde estar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá

    percebi que nunca é tarde pra recomeçar
    me iludi tremi na base me deixei levar
    senti um vento forte batendo no cabelo
    olhei pra tempestade parei fiquei com medo
    vim me humilhar pedir o seu perdão
    eu não quero afundar por favor me de a mão
    quero voltar não agüento mais a dor
    preciso retornar sentir o primeiro amor
    decepções humanas são tantas eu confesso
    não quero ser estrela não quero ser sucesso
    olhar para o problema foi meu erro no passado
    hoje eu traço a paz pra quem ta desesperado
    eu sou o filho que retorna a casa do pai
    eu vivo a segunda gloria egito nunca mais
    quero retornar é a volta to no ar
    pois só em Deus em Deus
    tenho forças pra lutar lutar

    o vento sopra tentar me derrubar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá
    minha mente endoida não sabe onde estar
    pra cá e pra lá ta lá e ta cá

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Provérbio X

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.