• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    O homem que não tinha nada, acordou bem cedo
    Com a luz do sol já que não tem despertador
    Ele não tinha nada, então também não tinha medo
    E foi pra luta como faz um bom trabalhador
    O homem que não tinha nada, enfrenta o trem lotado
    A sete horas da manhã com sorriso no rosto
    Se despediu de sua mulher com um beijo molhado
    Pra provar do seu amor e pra marcar seu posto
    O homem que não tinha nada, tinha de tudo
    Artrose, artrite, diabetes e o que mais tiver
    Mas tinha dentro da sua alma muito conteúdo
    E mesmo sem ter quase nada ele ainda tinha fé
    O homem que não tinha nada, tinha um trabalho
    Com um esfregão limpando aquele chão sem fim
    Mesmo que alguém sujasse de propósito o assoalho
    Ele sorria alegremente, e dizia assim

    Refrão

    O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
    Ninguém nasce sabendo, então me deixe tentar (me deixe tentar)
    O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
    Ninguém nasce sabendo (ninguém), então me deixe tentar

    O homem que não tinha nada, tinha Marizete
    Maria Flor, Marina, Mario que era o seu menor
    Um tinha nove, uma doze, outra dezessete
    A de quarenta sempre foi o seu amor maior
    O homem que não tinha nada, tinha um problema
    Um dia antes mesmo foi cortado a sua luz
    Subiu no poste, experiente, fez o seu esquema
    Mais à noite reforçou o pedido pra Jesus
    O homem que não tinha nada, seguiu a sua trilha
    Mesmo caminho, mesmo horário, mas foi diferente
    Ligou pra casa pra dizer que amava sua família
    Acho que ali já pressentia o que vinha na frente
    O homem que não tinha nada
    Encontrou outro homem que não tinha nada
    Mas esse tinha uma faca
    Queria o pouco que ele tinha, ou seja nada
    Na paranoia, noia que não ganha te ataca
    O homem que não tinha nada, agora já não tinha vida
    Deixou pra trás três filhos e sua mulher
    O povo queimou pneu, fechou a avenida
    E escreveu no asfalto "saudade do Josué"

    Refrão

    O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
    Ninguém nasce sabendo, então me deixe tentar (me deixe tentar)
    O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
    Ninguém nasce sabendo (ninguém), então me deixe tentar
    Então me deixe tentar
    Então me deixe tentar
    Então me deixe tentar

    Letra enviada por Matheus Guedes
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Projota

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.