Herança

Porca Veia


Sou rancho beira-estrada,feito de leiva e capim
Sou nota de uma esperança na garganta de um clarim
Sou alma de peão de estância, cantando dentro de mim;(2x)

Sou sobra de muitas guerras,sou pátria na cor dos panos
Sou flete que traz basteiras de arreios republicanos
Sou vento,chuva e mormaço,sou cerno de muitos anos;(2x)

Sou grito do quero-quero,ronda de muitas manhãs
Sou fralda de alguma varzea,na garganta dos tajãs
Sou noite de pirilampos,sou canto triste das rãs;(2x)

Sou rangido da cancela,na beira do corredor
Sou peão repontando a tropa,no estalo do arreador
Sou mão que joga e que canta,seus trinta e oito de flor;(2x)

Sou pregão do quitandeiro,vendendo doce e pastel
Sou mugido de boi manso,sou relincho sou tropel
Sou sino dos sete povos,nas torres de São Miguel;(2x)

Sou velho Uruguai batismo, de muita lança e fuzil
De longas melenas brancas,ora manso,ora hostil
Pedaço do céu tranqueando entra argentina e Brasil;(2x)

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Porca Veia no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS