Paulinho Moska
P√°gina inicial > MPB > P > Paulinho Moska > Castelos de Areia

Castelos de Areia

Paulinho Moska

Móbile


Ele nasceu para ser o melhor
Seus pais projetaram o futuro ideal
Nada lhes daria mais prazer do que vê-lo crescer bem

Mas naquela manh√£ encontraram um bilhete
Com palavras de dor e adeus
Daquele menino que agora queria ser alguém

√Č... pois √©, meu bem...
Castelos de areia derretem quando a onda vem

O crente rezou durante toda a sua vida
Para ter um sinal do Senhor
Dias e dias dizendo a mesma oração: Amém

E quando seu peito doeu como luz
Ele pensou: Agora vou ver Jesus!
Mas a luz se foi e ficou só a dor no seu coração

√Č... pois √© meu bem...
Castelos de areia derretem quando a onda vem

O cientista descobriu
Que o cérebro humano tem mais poder
Do que toda a vida na Floresta Amaz√īnica

Mas tanta droga ele consumiu
Que seu pensamento o diluiu
E agora ele chora sua l√°grima at√īmica

√Č... pois √©, meu bem...
Castelos de areia derretem quando a onda vem

Estamos no ano 4 mil
N√£o existe mais calor nem frio
Ninguém morre, ninguém fica mais doente

Só uma coisa nos tira o sossego
√Č que apesar de sermos eternos
O medo é que neste fim sem fim
Seremos sugados pelo buraco negro

Composição: Moska E Jorge Mautner

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta m√ļsica

Ou√ßa esta√ß√Ķes relacionadas a Paulinho Moska no Vagalume.FM
ESTA√á√ēES
ARTISTAS RELACIONADOS