Tome Polca

Patricia Marx

NeoclĂĄssico


Um sarau
Na Rua ItapirĂș
Em casa das Novaes
O calor estĂĄ abrasador
E tem gente demais
Mas tome polca

Num sofĂĄ
A dona Jacintinha
Faz bola de papel
E na janela de papelotes
A Berenice namorisca
Um curriel

À reclamar silĂȘncio
Surge o seu FulgĂȘncio
Um de bom comendador
Sim, porque nesta altura
Chega o padre cura
Com o corregedor

Entra o Souza
Que vem pisando em ovos
Com as botas de verniz
Enquanto a esposa
De olhos em alvo
Fica torcendo os cabelinhos do nariz

Por trĂĄs de uma cortina
VĂȘ-se a Minervina
Que é mais preta que um tição
E diz entre risadas
Quebra dona Alice
Quebra seu BeltrĂŁo

Atenção
Acordes na Dalila
Seu Gil vai recitar
Formam roda
E o moço encalistrado
Começa a gaguejar

Tem um chĂĄ
Bolinhos de polvilho
E outros triviais
SĂŁo onze horas
Apague o gĂĄs
E assim termina
O bailarico das Novaes
E tome polca.

Compositor: Luiz Peixoto / José Maria De Abreu

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Patricia Marx no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS