O Cinza

O Terno

O Terno


Nasce mais uma manhã nublada em Sp
O jornal arremessado,
O copo de café
O cinza

Trânsito parado, gente só à se empilhar
Marcha sonolenta
Se arrastando
para a Sé


Eu abro o olho preso no meio da rua
Sinal fechado, o tempo passa e nada muda
O povo corre mas não sabe bem pra onde
No fundo só querem fugir pra muito longe


Mais um fim de tarde que garoa em Sp
Hoje o sol não vai se pôr
Porque não quis nascer
O cinza

Guarda-chuvas fecham e se escondem no metrô
Encharcando o chão do trem
Com tudo que pingou


Quem vê de cima olha a fumaça se espalhando
Entre as buzinas, passam quase atropelando
Mesmo de dia as luzes já estão acesas
Caiu a noite, mas sem lua nem estrelas

Nasce mais uma manhã nublada em Sp
Hoje o sol não vai se pôr
Porque não quis nascer
O cinza

Compositor: Martim Bernardes/Victor Chaves

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a O Terno no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS