• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    "..."

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim,
    Daqui a pouco não.

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim,
    Daqui a pouco...

    Se agregar não é segregar;
    Se agora for, foi-se a hora.
    Dispensar não é não-pensar;
    Se saciou, foi-se embora.

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim,
    Daqui a pouco não.

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim,
    Daqui a pouco...

    Se lembrar não é celebrar;
    Dura é a dor quando aflora.
    Esquecer não é perdoar;
    Se consagrou, sangra agora.

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim,
    Daqui a pouco não.

    Quanta mudança
    Alcança o nosso ser
    Posso ser assim...

    Tempo de dar colo,
    Tempo de decolar. [2x]

    O que há é o que é;
    E o que será
    Nascerá, nascerá.

    Tempo de dar colo,
    Tempo de decolar.[2x]

    O que há é o que é;
    E o que será
    Nascerá... Será?

    Reciclar a palavra,
    O telhado e o porão;
    Reinventar tantas outras
    Notas musicais.

    Escreever um pretexto,
    Um prefácio e um refrão
    Ser essência muito mais.

    Ser essência muito mais
    A porta aberta, o porto,
    A casa, o caos, o cais.

    Se lembrar de celebrar muito mais. [5x]

    Muito mais...
    A ciência, a essência,
    A poesia prevalece...

    Tá certo que o nosso mau
    Jeito foi vital
    Pra dispensar o nosso bom;
    O nosso som pausou.

    E, portanto, exposição;
    A disposição cansou.
    Secou da fonte da paciência
    E nossa excelência ficou lá fora.

    Solução é a solidão de nós.
    Deixe eu me livrar das minhas marcas;
    Deixe eu me lembrar de criar asas.

    Deixa que esse verão eu faço só.
    Deixa que esse verão eu faço só.
    Deixa que nesse verão eu faço sol.

    Só me resta agora acreditar
    Que esse encontro que se deu
    Não nos traduziu melhor.

    A conta da saudade
    Quem é que paga?
    Já que estamos brigados de nada;
    Já que estamos fincados em dor.

    Lembra o que valeu a pena
    Foi nossa cena não ter pressa pra passar. [2x]

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de O Teatro Mágico

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.