Que os Foo Fighters são uma das maiores bandas ao vivo do planeta não chega a ser novidade. Se alguém ainda duvidava disso, a prova foi tirada nessa madrugada do dia 29 de setembro a partir do momento em que o sexteto entrou no Palco Mundo com sangue nos olhos e disposto a entregar um show digno de um headliner em um grande festival.

Demonstrando segurança, apuro técnico, um repertório bem escolhido, presença de palco e bom humor, Dave Grohl e cia. fizeram aquele que será um forte concorrente a melhor show dessa edição do festival e talvez o melhor já feito por eles no Brasil.

Com nove discos lançados e muitos sucessos e músicas queridas, o Foo Fighters soube organizar bem o setlist dividido entre material mais recente e os clássicos do passado dando uma dinâmica especial ao concerto. Dinâmica também é uma palavra chave para entender o porquê do show funcionar tão bem, especialmente o clima de camaradagem que se vê entre Grohl e Taylor Hawkins, o segundo centro de atenções na banda. O músico tem direito cantar sozinho e também a um solo de bateria que é elevada mecanicamente vários metros acima do chão.

A cover de "Under Pressure" do Queen, uma das cantadas por Hawkins, além de trazer leveza para o espetáculo, dá a chance de vermos Grohl tocando bateria, como ele fazia nos já longínquos tempos de Nirvana. A bateria aliás mostra que o humor é fundamental nessa banda. Quem prestou atenção deve ter visto uma foto de Noel Gallagher adornando o bumbo.

Para quem não entendeu a piada, há algumas semanas Grohl disse em um show na Inglaterra que iria dar início a uma petição a favor de um retorno do Oasis. Em clima de brincadeira, Noel o ex-guitarrista da banda inglesa, disse que ia criar uma petição para que os Foo Fighters se separassem. A se julgar pela animação vista hoje tanto em cima do palco como na plateia, dá para dizer que Gallagher não deverá ter o seu pedido atendido tão cedo.

Em um concerto que passou das duas horas de duração, Grohl também, como não poderia deixar de ser, deu mostras de porquê ser considerado um dos caras mais legais do rock, seja ao dar a sua "bênção" para o pedido de casamento feito em pleno palco, ou agradecer o Weezer por terem feito uma cover de "Lithium" do Nirvana. Foi quando o vocalista revelou que estava no camarim e se emocionou com a homenagem além de ter lembrado o público que a sua primeira visita ao Brasil foi há muito tempo (em 1993) quando ele tocou no Hollywood Rock. Também rolaram agradecimentos ao Tenacious D e ao baixista Júnior Groovador.

No final, Dave ainda acabou dando um furo, ao entregar que na semana que vem a banda começará a gravar o seu novo disco.

Veja trechos do show:

"The Pretender"



"Under Pressure"



O pedido de casamento



"Everlong"