Bob Dylan segurando as placas com a letra de "Subterranean Homesick Blues", Jimi Hendrix tocando fogo em sua guitarra, David Bowie como Ziggy Stardust anunciando que aquele era não era apenas o último show da turnê, mas o último de sua carreira. Três imagens que todo fã de rock certamente já viu e que têm em comum o fato de terem sido registradas pelas lentes do documentarista D. A. Pennebaker, morto no sábado (3) aos 94 anos de causas naturais.

Smiley
Pennebaker não fez só documentários musicais, mas certamente entrou na história por causa deles, em especial por três de seus principais filmes - todos marcados pelo clima "câmera na mão" e sem entrevistas ou narração - ele preferia captar o clima do momento, buscando não interferir nos fatos.

"Dont Look Back" (sem apóstrofe mesmo) com Bob Dylan lançado em 1967 registrou a turnê do cantor e compositor pela Inglaterra dois anos antes, a sua última no formato "voz e violão". Além de funcionar como uma especie de manual de como ser um rockstar - o diretor flagrou o artista em sua fase mais sarcástica - e ajudar a dar forma para muitos longas do tipo que seriam feitos nas décadas seguintes, ele também traz a tal cena dele segurando as placas com a letra da música, naquele que pode muito bem ser considerado um dos primeiros clipes já feitos - a linguagem certamente já estava desenhada ali.

Veja:



Em 1967 foi vez de Pennebaker estar novamente no centro da história do rock, filmando o Festival de Monterey, o primeiro a juntar grandes nomes em um só evento. "Monterey Pop", lançado em 68, tem grandes cenas de Janis Joplin (no exato momento em que ela foi "descoberta"), Otis Redding e The Who (com a então tradicional destruição de equipamento), mas tem, especilamente a presença de Jimi Hendrix naquele que já foi considerado o melhor show de rock de todos os tempos, simulando sexo com a sua guitarra, antes de incendiá-la durante uma versão de "Wild Thing". O filme também ajudou a criar um padrão para documentários sobre festivais.



"Ziggy Stardust and the Spiders from Mars" foi filmado em 1973, no derradeiro show de David Bowie encarnando o personagem Ziggy Stardust. Dessa vez o diretor pôde registrar um momento de pura histeria pop e de um artista vivendo o seu primeiro pico de sucesso. Curiosamente, o "rock film" só chegou aos cinemas dez anos depois de filmado, mas desde então ele é, com razão, considerado um clássico do gênero e um documento importante, por trazer a já citada cena em que o cantor anuncia a sua decisão de abandonar os palcos - como se viu depois, ele abandonou apenas a sua persona e também a banda que o acompanhava nessa época, os "Spiders from Mars" (aqui é possível escutar o discurso e os gritos de incredulidade da plateia).



Pennebaker também fez grandes filmes com John Lennon ("Sweet Toronto", 1971), Depeche Mode ("101" de 1989) e, já com quase 80 anos, o belo "Only the Strong Survive" de 2002, onde conseguiu filmar grandes lendas da soul music em seus derradeiros anos.

O cineasta também fez documentários sobre política, a favor da causa animal ou ao lado de comediantes, mas será sempre lembrado por seu trabalho junto aos grandes nomes do rock.