Janelle Monáe
Apesar de estarmos ainda em novembro, as primeiras listas dos melhores discos de 2018 já estão começando a sair. Quem tomou a dianteira, foram duas das principais revistas inglesas: a Mojo e a Uncut, ambas de perfil mais adulto com muitos álbuns em comum nos seus respectivos top 75, ainda que não nas mesmas posições.

Basta dizer que o primeiro lugar para a Mojo - "Heaven and Earth" do jazzista Kamasi Washington, ficou em 21° na da Uncut, enquanto o primeiro da Uncut - o experimental "Double Negative" dos veteranos do Low foi o 19° da Mojo.

Mas os dois rankings também trouxeram semelhanças no topo 10. A maior delas foi "Hope Downs" dos australianos do Rolling Blackouts Coastal Fever - terceiro na Mojo e segundo na Uncut - "Dirty Computer" de Janelle Monae (quarto na Mojo e sexto na Uncut), "Chris" de Christine & The Queens (quinto para a Mojo e nono para a Uncut) e "And Nothing Hurt" do Spiritualized (quarto na Uncut e nono na Mojo).

Veja os cinco álbuns favoritos de cada publicação:

Mojo
01 - "Heaven and Earth" - Kamasi Washington (21° para a Uncut)
02 - "Traqnuility Base Hotel and Casino" - Arctic Monkeys (40° para a Uncut)
03 - "Hope Downs" - Rolling Blackouts Coastal Fever (segundo na Uncut)
04 - "Dirty Computer" - Janelle Monae (sexto na Uncut)
05 - "Chris" - Christine & The Queens (nono na Uncut).

Uncut
01 - "Double Negative" - Low (19° para a a Mojo)
02 - "Hope Downs" - Rolling Blackouts Coastal Fever (terceiro na Mojo)
03 - "Freedom's Goblin" - Ty Segall (38° para a Mojo)
04 - "And Nothing Hurt" - Spiritualized (nono para a Mojo)
05 - "There's a Riot Going On" - Yo La Tengo (44° para a Mojo)