• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Mais sobre
    Siga o Vagalume
    Twitter Google+ YouTube Tumblr
    Publicidade

    Disco a Disco: Emicida

    Confira a trajetória do rapper de São Paulo que conquistou a mídia geral

    Há 1 ano da Redação

    Emicida letras


    Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido por seu nome artístico Emicida, é um dos rappers mais conhecidos no cenário atual. A princípio, o nome "Emicida" vem de uma junção das palavras "MC" e "homicida". Devido ao seu talento nas batalhas de rima e rodas de freestyle, os amigos de Leandro diziam que o paulista era tão bom que "matava" o oponente, dando origem ao apelido.

    O rapper, nascido e criado na Zona Norte de São Paulo, fala sobre diversos assuntos em suas músicas. Os temas vão desde sua infância, lugar onde viveu, pessoas com quem conviveu, inspirações musicais, a luta contra o racismo e até o amor.

    O artista começou a se destacar após o lançamento do clipe do single "Triunfo", produzido por Felipe Vassão. A produção concorreu ao Video Music Brasil 2009 na categoria "Melhor Vídeo", mas perdeu para "Sutilmente" da banda Skank. Porém, o paulista começou a ser visto como uma grande revelação do hip-hop nacional.

    Neste "Disco a Disco", entraremos em mais detalhes sobre os álbuns de estúdio do artista.

    "O Glorioso Retorno De Quem Nunca Esteve Aqui" (2013)

    Emicida letras
    Lançado em 21 de agosto de 2013, o primeiro álbum de estúdio do Emicida é, certamente, o trabalho mais ambicioso da carreira do rapper até aqui. O álbum é de certa forma linear, alternando entre canções e versos proclamados pelo próprio Leandro e a autora destas poesias, Elisa Lucinda.

    "O Glorioso Retorno De Quem Nunca Esteve Aqui" é repleto de referências literárias, da cultura pop e artistas do hip-hop. No geral, o rapper disserta sobre a sua vitória no campo musical e na vida, além de falar em temas já recorrentes em suas composições como a luta contra o racismo, o amor e sua relação com a música e suas rimas.

    Analisando o álbum como um todo, as canções e os versos proclamados contam a história de alguém que tem muitos sonhos apesar dos altos e baixos da vida. O material conta com a produção de Felipe Vassão e com diversas participações. O rapper - e mutas vezes colega de palco - Rael compartilha sua voz em "Levanta e Anda (Part. Rael da Rima)", canção que fez parte da trilha sonora oficial do jogo de videogame Fifa 15.

    A dinâmica mais interessante do álbum se encontra na sequência de duas das faixas. Em "Crisântemo", single que apresenta versos da mãe de Leandro, Dona Jacira, o MC descreve a perda de seu pai enquanto ainda era pequeno. O som é carregado de características do samba e uma letra forte que expressa todo o sentimento do rapper pelo pai. Em seguida, o clima fica mais leve ao transitar para a canção "Sol de Giz de Cera (Part. Tulipa Ruiz)", com pegada MPB e participação de Tulipa Ruiz, que mostra todo o carinho e felicidade que Leandro tem em ser pai.

    Passando pelo single mais pop "Hoje Cedo (Part. Pitty)" com participação da cantora Pitty e fazendo uma ponta nos sambas "Trepadeira (Part. Wilson das Neves)" e "Hino Vira-Lata (Part: Quinteto em Branco e Preto)", o álbum conta ainda com a balada amorosa "Alma Gêmea (Part: Rafa Kabelo)" e um misto de rap com funk em "Gueto (Part. MC Guime)" com participação do MC Guimê. Isso mostra toda a versatilidade e mente aberta do artista em não se prender aos rótulos da mídia e gêneros musicais. Porém, esta "liberdade" gerou uma certa crítica negativa pelo público, que dizia que Emicida não estava mais fazendo rap e estaria se vendendo à mídia.

    "Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa..." (2015)

    Emicida letras
    Depois de dois anos e uma viagem à África, o rapper traz um som mais maduro. Dá-se a impressão de que ele está totalmente confiante que esse é o seu trabalho mais completo até hoje, marcando 10 anos de carreira.
    O álbum, lançado em 7 de agosto de 2015, conta com a produção musical de Xuxa Levy e participação de músicos africanos.

    Em resumo, Emicida traz influências de sua passagem por Cabo Verde e Angola, tanto na composição musical quanto em suas letras. Os principais temas abordados são a constante luta contra o racismo, o amor e a exaltação das religiões afro-brasileiras. Como de costume, as referências literárias estão por todos os lados, cada vez mais aprofundadas, o que demonstra o constante estudo do artista para trazer mais conteúdo em suas letras.

    Apesar de apresentar tópicos "pesados", "Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa..." é um álbum completo, passando por diferentes ritmos: afrobeat, reggae e até mesmo a MPB.

    Com participações de peso de Caetano Veloso em "Baiana (Part. Caetano Veloso)" e Vanessa da Mata no single de sucesso "Passarinhos (Part. Vanessa da Mata)", o material conta também com nomes em ascensão na cena do hip-hop, como Amiri, Drik Barbosa, Rico Dalasam e outros na agressiva canção de oito minutos "Mandume (Part.Drik Barbosa, Amiri,Rico Dalasam, Muzzik e Raphão Alaafin)". Esta última possui uma batida mais marcada, quase marcial, que se assemelha à batucada proveniente das religiões com raízes africanas.

    Destaque também para o single "Boa Esperança", canto de protesto que ganhou um videoclipe polêmico. Na produção, conta-se a história de escravos negros que se rebelam contra seu senhor e sua família.

    Outros Lançamentos:


    Emicida letras
    "Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe...", "Sua Mina Ouve Meu Rep Tamém", "Emicídio", "Doozicabraba e a Revolução Silenciosa" e "Criolo & Emicida - Ao Vivo"

    Não se pode esquecer que o que realmente fez o Emicida chegar onde chegou hoje foi o reconhecimento de suas mixtapes e EPs.

    A "Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe...", lançada em 2009, é a mixtape de estreia do rapper, contendo o single "Triunfo". Com 25 faixas gravadas pela gravadora independente Laboratório Fantasma, o material possui músicas que são tocadas até hoje nos shows do artista, como "A Cada Vento" e "Outras Palavras".

    O "Sua Mina Ouve Meu Rep Tamém" é o primeiro EP do rapper com apenas 6 faixas, lançado em 2010. O material é dedicado totalmente ao "rap de mina", que fala sobre o amor e relacionamentos, mas não possui muito reconhecimento. O título deste projeto faz menção à canção "Sua Mina Ouve Meu Rap" do Mc Marechal.

    A "Emicídio" é a segunda mixtape da carreira do artista, lançada no final de 2010, trazendo participações de Rael e Kamau. Este último é uma das inspirações de Leandro. O material contém grandes músicas como a faixa-título, "Velhos Amigos" e "Então Toma", cujo videoclipe faturou o prêmio "Clipe do Ano" no Video Music Brasil 2011.

    O "Doozicabraba e a Revolução Silenciosa" é o segundo EP, lançado em 2011, que trouxe uma produção melhor trabalhada, comandada pelos beatmakers estadunidenses Beatnick e K-Salaam. Contém 9 faixas e participações de Rael e MV Bill. Destaque para o sucesso "Zica, Vai Lá", que ganhou um clipe com participação do jogador de futebol Neymar.

    O Emicida também lançou em 2013 um projeto ao vivo em colaboração com o rapper Criolo, trazendo músicas de sucesso de ambos os artistas conhecido como "Criolo & Emicida - Ao Vivo". O material foi gravado no Espaço das Américas em São Paulo e disponibilizado em CD e DVD.

    Veja letras, traduções e muito mais de Emicida no Vagalume!
    Comente

    Notícias, curiosidades e conteúdos exclusivos
    do Vagalume para assistir e compartilhar