Vício Bandido

Neurônio Sub-consciente


Vicio bandido, olhei pro prato e me desesperei
Coração tava a milhão, pra que porra eu comecei,
Outra vez desandei, nem vi quando escureceu,
Só vi meu nariz sangrando
Logo quando amanheceu, quem sou eu, nem me conheço
Estresse traz violência, estigado a noite toda,
Vários risco na sequencia,
Pego o prato pro esquente, estica o pó, deixa comigo,
Maniaco injuriado, pros contra e pros inimigos,
Tenho que me jogar disso, farinha é mô atraso,
Quem era pra dar exemplo, tá louco, alucinado
Perturbado com essa vida, respira, tenha calma,
Impossível desse jeito, cheirado até a alma,
A favela adormeceu, não quero que os guri me veja,
Acordo o dono do bar, que pó,
Acabou as breja, ele sempre me tratou bem,
De boa, com gentileza,
Meio cabreiro, se ligou que eu tava louco, com certeza,
Posso até tá raiado, seja do jeito que for,
Mais estranhar nem pensar, afavor é afavor,
Minha rappa eu dô valor, periferia até o fim,
Eu só tenho a agradecer o que a quebrada fez por mim,
Por isso que eu tô aqui, explicando de um por um,
Alertando os de menor, que a droga mata qualquer um,
Estudar,se formar, se ingressar na faculdade,
Trabalhar, conquistar, isso sim é malandragem,
Mô saudades os garotão, aqui tudo endiabrado,
Cheirou a mercança dos outros, não pagou, virou finado,
No final tu tá ligado, tua família em desespero,
As mina que cheirou com ele, nem se quer foi no enterro,
Pesadelo, mô tormento, alegria já passou,
No outro dia vai ver, só quanto "ocê" gastou,
Eu gastei, cê num gasta, química é prejuízo,
Por isso que eu batizei a letra de vicio bandido,
Incrível como isso engana, impossível se controlar,
Meter o nariz até que é fácil, o difícil é parar,
Quer dormir nem pensar, agonia te dominou
Se tá se sentindo mal, é pagando o que cê cheirou
Afavor demorou, na nossa vitória acredito,
Que através desse som, muitos vão se jogar disso,
O vicio menos pior é o que não pode faltar,
De preferência a natural, que é pra não prejudicar
Vai rolar, trocar uma ideia, um morrão pra todo mundo,
Mais farinha é mô atraso, cocaína é sem futuro,
Se sai desse obscuro, a vida é dura em maceió,
Tá vendendo até as roupas, pra cheirar porra de pó,
Nunca chegue a esse ponto, acorda aê moral,
Que eu já vi muitos chegar, numa miséria total,
Relógio, calça de marca, lupa da hora spy,
Celular, blusão cyclone, bermudão, boné da nike,
Tinha tudo, de repente ó só que final infeliz,
O motor de da rolé, trocou, e jogou no nariz
O cordão que sempre quis, perdeu fácil, ninguém ajuda,
Esqueceu das correria, pra conseguir foi uma luta,
Acorda fila.. fila, que essa vida é uma ameça,
Até ontem tava ai, só fumava um da massa,
Mais chegou essa desgraça, danificou várias vidas
Respiração embaçada, o nariz na carne viva,
Tá travando na garganta, toma um gole pra descer
Tá no drama, tá cismado, tudo pode acontecer,
E você que tá ai, nesse momento me escutando,
Não esqueça que a química, estraga o seu sonho,
Estraga seu lazer, seu bolso não aguenta,
A maioria começou de uma mal influência,
Use a sua inteligencia, tô julgando ninguém não,
Até eu às vezes erro pô e caiu em tentação,
Mergulhe nessa ilusão, cuidado pra não se afogar
Quantos patrão já vi cair, sem conseguir se levantar,
Diga quem vai te ajudar, quando bancava tinha amigos
São poucos que chega junto, nas horas mais difíceis,
Nesse papel deixo escrito, no teu olhar de revolta,
Cocaína é complicado, leva pra um caminho sem volta,
Destroça o futuro que o brasil não tá nos dando,
Não tá melhorando a vida, de quem tá precisando,
E nos mesmo se matando, se levando pelo ódio,
Quando não morre pelo vicio, morre na mão do próximo,
Mudar seria ótimo, não esqueci momento algum,
Aquilo que eu te falei, química mata qualquer um .

Compositor: Alex

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Neurônio Sub-consciente no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS