• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Banda

    Neon Trees
    Formado em 2005



    Integrantes

    Tyler Glenn
    Nasceu em 28 de novembro de 1983
    Fundou a banda



    Como o nome, o Neon Trees é uma combinação de ganchos pop com rock orgânico resistente, ambos melódicos e contundentes; seus hinos de angústia adolescente, saudade, amor perdido e encontrado são entregues de uma forma apaixonada tipo coração na mão, que só vem com trabalho duro e compromisso.

    Sua estréia pela Mercury Records / Universal Music, Habits, produzida por Tim Pagnotta, é um sopro refrescante de espírito e energia rock atemporal que não soaria fora de lugar em qualquer ponto entre o garage-rock dos anos 60 ao dance rock de 2010. O primeiro single, "Animal", decola de uma rodada de guitarras angulares para uma música que fica igualmente em casa tanto em uma arena como numa pista de dança, um hino ao desejo sexual em que o vocalista Glenn Tyler lamenta "Tire uma mordida do meu coração hoje à noite", e você não tem nenhuma razão para duvidar de sua sinceridade.

    Pegue uma new wave feliz, acrescente rock clássico que conta histórias da humanidade e fermente com um carisma de outro mundo, e você começa a entender a paleta em que o Neon Trees está trabalhando. "Eu tenho esta estranha, obssesiva natureza de querer ser um super-herói", admite Glenn, que cita seus dois artistas favoritos como The Boss (Bruce Springsteen) e The King of Pop (Michael Jackson). "Eu só quero ajudar meus amigos e as pessoas que amo salvando-os, apenas para perceber que eles estão realmente me salvando ao ouvir a música. As canções são sobre amor, perdão e paixão, que basicamente resume toda a vibração do que somos como uma banda, profissionalmente e espiritualmente".

    Na abertura de "Sins of my Youth", Tyler relembra uma infância de tentativa, erro e eventual auto-descoberta. "I've got these habits I cannot break. Call me crazy/I was born to make a mess." (Eu tenho esses hábitos que não consigo quebrar/ Me chame de louco / Eu nasci para fazer bagunça). "Your Surrender" leva a queixa romântica de Roy Orbison e a coloca contra a parede de som (Wall of Sound) de Phil Spector, enquanto "Girls and Boys in School" fala por si, com uma música de playground por cima de um refrão de synth-pop obscuro, mas ainda sing-along. Chris Allen tem uma forma peculiar, nervosa de tocar guitarra, meio Johnny Marrr-encontra-The Edge, enquanto a baterista Elaine Bradley toca com a intensidade de John Bonham adicionando uma pulsação de sensualidade para as canções.

    "Todas as nossas músicas se relacionam com a experiência humana", diz o baixista nativo de Las Vegas, Branden Campbell. "A emoção é muito importante para nós. Nosso logo é um coração humano com asas. Tentamos mater o pé no chão, mas não temos medo de sonhar, também, trabalhar duro e admitir que queremos o sucesso".

    "Abordamos as músicas a partir de uma perspectiva clássica", acrescenta o guitarrista Chris Allen, que formou o grupo inicial no sul da Califórnia com o vizinho Tyler, que morava virando a esquina. "Mesmo desde o início, o objetivo era fazer música para nós. A gente nem falava falar, apenas ensaiava".

    "Eu sempre tentei manter meus pés no chão, com relação as minhas composições", acrescenta Tyler, um músico autodidata que começou a compor quando tinha seis anos. "Eu tento me concentrar em fazer o que estou pensando e sentindo. É uma ferramenta para me ajudar a lidar com todas as coisas estranhas que vêm à minha mente. Eu estou apenas feliz por ter encontrado essa saída".

    Quando Allen mudou-se para Provo, UT, para estudar, Glenn o seguiu, sabendo que queria tocar ao lado de Allen. "Essa foi uma viagem bem estranha", brinca Chris. "Fomos de carro até lá e mal trocamos uma palavra. Tudo o que sabíamos era que nós queríamos tocar músicas juntos".

    Uma vez lá, logo se juntaram a eles Campbell, no baixo, e a baterista Bradley, uma fã de Led Zeppelin / Depeche Mode do Centro-Oeste, uma combinação que cdeu certo apesar do fato dos membros, individualmente, terem descoberto em algum momento que eram todos pessoas muito diferentes. "Somos todos tão fascinantemente diferentes", explica Bradley, que faz parte de bandas desde que tinha 14 anos, primeiro como guitarrista, em seguida, como baterista. "Tyler é o tipo peculiar sério que é realmente um pateta. Branden é a enciclopédia da história musical. Chris é o trabalho braçal. Estar nessa banda é como um casamento arranjado onde o divórcio não é uma opção, e eu estou bem com isso".

    Ter assinado com uma grande gravadora não mudou o Neon Trees nem um pouco. "Nosso objetivo e a forma como tocamos ainda são os mesmos", insiste Tyler. "Nós sempre tentamos evocar um sentimento maior do que a vida, mesmo se estamos tocando para dez pessoas em uma garagem. Estamos apenas tentando manter os pés no chão, lembrando o que nos levou a começar a fazer isso".

    "A música é um ato sagrado de comunhão para mim, oferecendo esperança e amor", diz Tyler. "Esse é o coração desta banda. Assim como na vida, porém, você precisa se divertir também, você tem que rir e dançar e cantar. As músicas que duram e fazem as pessoas sentirem alguma coisa são aquelas que elas podem cantar junto e com as quais podem realmente se identificar".

    "Há muito fôlego para o que fazemos", acrescenta Elaine. "Cada música representa um aspecto diferente do nosso som. Nós não mantemos uma única fórmula. E nós temos o que é preciso para fazer funcionar ao vivo". Chris completa: "Shows ao vivo é o que mais gostamos de fazer; viajar, ver novos lugares, conhecer novas pessoas. Nós só queremos compartilhar esse sentimento que recebemos das bandas que nos inspiraram e, em seguida queremos passar adiante".

    Com sua estréia em uma grande gravadora, Habits, Neon Trees acendem a fogueira!

    Fonte: Universal Music Brasil
    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar


    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.