O Gigante

Nenete & Dorinho


Meu sangue ainda corre nas veias
Quando vejo a boiada passar
E o rastro que fica na areia
Faz o meu coração corcovear

Alegria se estampa em minha alma
Quando vejo o potrĂŁo disparar
Dia e mĂȘs a campina Ă© pequena
Da energia que esbanja um baguĂĄ
Boiada, boiada

Quando o vento me traz o perfume
LĂĄ na mata onde canta o sabiĂĄ
Eu escuto o golpear do machado
Contra o cerne do jequitibĂĄ

Dou um grito ao valor do caboclo
Que o meu grito vai se misturar
O gemido do angico que obriga
O gigante da mata tombar
Madeira, madeira

Mas quer ver um caboclo topado
Perder o jeito e se descontrolar?
É se ver a morena faceira
Com aquele jeitinho de andar

Coisa linda se vocĂȘ quiser
Minhas juras de amor aceitar
Vou fazer um buquĂȘ dos meus sonhos
Para o nosso futuro enfeitar
Vou fazer um buquĂȘ dos meus sonhos
Para o nosso futuro enfeitar
Meu amor, meu amor

Compositor: CrisĂłstomo, CrisĂłsteme Pinheiro de Faria

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Nenete & Dorinho no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS