• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Um dia, numa rua da cidade, eu vi um velhinho sentado na calçada
    Com uma cuia de esmola e uma viola na mão
    O povo parou pra ouvir, ele agradeceu as moedas
    E cantou essa música, que contava uma história
    Que era mais ou menos assim:

    Eu nasci há dez mil anos atrás
    e não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais (2x)

    Eu vi cristo ser crucificado
    O amor nascer e ser assassinado
    Eu vi as bruxas pegando fogo pra pagarem seus pecados,
    Eu vi,
    Eu vi Moisés cruzar o mar vermelho
    Vi Maomé cair na terra de joelhos
    Eu vi Pedro negar Cristo por três vezes diante do espelho
    Eu vi,

    Eu nasci
    (eu nasci)
    Há dez mil anos atrás
    (eu nasci há dez mil anos)
    E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais (2x)

    Eu vi as velas se acenderem para o Papa
    Vi Babilônia ser riscada do mapa
    Vi conde Drácula sugando o sangue novo
    e se escondendo atrás da capa
    Eu vi,
    Eu vi a arca de Noé cruzar os mares
    Vi Salomão cantar seus salmos pelos ares
    Eu vi Zumbi fugir com os negros pra floresta
    pro quilombo dos palmares
    Eu vi,

    Eu nasci
    (eu nasci)
    Há dez mil anos atrás
    (eu nasci há dez mil anos)
    E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais (2x)

    Eu vi o sangue que corria da montanha
    quando Hitler chamou toda a Alemanha
    Vi o soldado que sonhava com a amada numa cama de campanha
    Eu li,
    Eu li os simbolos sagrados de Umbanda
    Eu fui criança pra poder dançar ciranda
    E, quando todos praguejavam contra o frio,
    eu fiz a cama na varanda

    Eu nasci
    (eu nasci)
    Há dez mil anos atrás
    (eu nasci há dez mil anos atrás)
    E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais
    não, não porque

    Eu nasci
    (eu nasci)
    Há dez mil anos atrás
    (eu nasci há dez mil anos atrás)
    E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais
    Não, não

    Eu tava junto com os macacos na caverna
    Eu bebi vinho com as mulheres na taberna
    E quando a pedra despencou da ribanceira
    Eu também quebrei e perna
    Eu também,
    Eu fui testemunha do amor de Rapunzel
    Eu vi a estrela de Davi brilhar no céu
    E praquele que provar que eu tou mentindo
    eu tiro o meu chapéu

    (eu nasci)
    Eu nasci
    (há dez mil anos atrás)
    Eu nasci há dez mil anos atrás
    (e não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais)

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Nando Reis

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.