• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Hei mãe, o terror vai começar
    Coloca a janta, talvez a última, o bicho vai pegar
    Se eu não voltar sorria
    Guerra é a em busca da alegria
    Eu luto pela salvação
    É tudo em nome da razão
    Acenda a vela a meia noite
    É o código da revolução
    Os Generais nem imaginam nosso plano
    Pensam que é mais um engano
    Os pretos estão do lado de cá
    São soldados aliados ao PPPomar
    Os diretores dos presídios forjam fugas
    Tensão nas celas, nos bueiros, são sangue sugas
    Libera a fuga diretor ! solte os detentos
    Pelados na rua escura, sem lamentos
    O nosso exercito só entra loucos,
    Lixo, resto, praga, porco
    Bichos, gente que vive na amargura
    Não nos restam mais ternura
    Avisei que a guerra era inevitável
    Pra quem vive em condições desfavorável
    Subestimaram, pagaram pra ver, tão vendo
    Ignoraram a nossa coragem, tão morrendo
    A violência não fui eu que inventei
    Somos culpados condenados
    Chega de ouvir esse discurso social
    Chega de ouvir o lenga lenga racial
    Sou animal sou, sou canibal, eu sou letal
    Eu sou a praga que .................................
    Não aceito ser chamado de artista
    Sou favelado, Incendiário, um terrorista
    Venham padres, Índios, bichas.
    A luta é o coração de um guerreiro ativista

    CONVOQUE OS ÍNDIOS CONVOQUE OS CANIBAIS ***
    CONVOQUE OS SONHOS DOS NOSSOS ANCESTRAIS ***
    Vou invadir mais um Hospício
    Vivemos num ao precipício
    Vou procurar mais guerrilheiros pra esta noite
    Vida longa aos pretos, fim do açoite
    Vou programar mais homicídio para esse dia
    Fim da vida aos brancos, da covardia
    A sede da alforria nos conduz
    Um novo rumo nos seduz
    São Benedito nos proteja esta noite
    O fim ta perto...........................
    Sem terra, sem teto sem nada nos dentes
    Sem fama, sem grana, sem luz ou parentes
    se cair os dentes - siga-me
    se perder o emprego siga-me
    Ta passando fome - siga-me
    se perder o medo siga-me
    Ta com olho Gordo siga-me
    Tem amor à vida siga-me
    Trombadinha, mendigo, ladrão
    Sangue nos olhos, jamais compaixão
    A guerra não é só minha! é nossa,
    Nossa !!! quanta fumaça, quanta desgraça
    Essa guerra vem de outrora
    mas nossa coragem só veio agora
    Vivemos num campo de concentração
    Somos o lixo, a bucha do canhão
    De um lado os Alvos, brancos, tiranos
    Senhores carrascos mundanos
    Do outro, o medo, os pretos, plebeus
    Escravos, mulatos, ateus
    De um lado o Luxo, o clássico, o bem
    Doutores, Madames também
    Do outro, pobreza, O rap a fome.
    Maus tratos .. .......................... ..
    Perdão, meu crime foi nascer nessa terra
    Orgulho escorre na viela da favela
    Vesti minha armadura o destino foi traçado
    Não recue escolha um lado
    Em cada metro quadrado
    Somos 10 refugiados
    Si é esse o lindo, velho, eterno céu de anil
    Não tenho dúvida, vou botar fogo no Brasil
    Aqui no morro à molecada caí e corre quando passa um avião ***
    Quem sabe um dia cai um pão, mas não, cansaço em vão ***
    Vai seu piloto, rala peito, vai na fé !
    leve nas asas a nossa imagem de mané,
    Era um modelo S-1 Americano,
    Ou S-2 se não me engano
    Vão liderando o bombardeio anti-humano
    Ratificando o seu projeto soberano
    Do norte ao Sul do leste ao oeste,
    Ou vai ou racha, ou dá ou desce.
    Vai peixeira ou de garrucha
    Não vamos mais servir de bucha
    Chamem o Zé lá do Nordeste
    E os irmãos cabra da peste
    Do Iapoque ao Chuí, Ruanda ao Tibé
    Nosso grito é dor, o silêncio de fé
    Vamos ser o poder terra.
    Nossa declaração é de Guerra.
    Geledés, Crioula, Mangueira, cadê vc ?
    Áfroreggae, Atobá, Vovô, Ileiaê.
    CEAP,Candial, M.N.U
    Rima de Cima,Orunmilá,OLODUM
    Nossa cara é lutar, não por direitos
    Nossa luta não é mais por respeito
    mas pelo poder até vencer
    Doe em quem doer
    Fuja do hospício e - Siga-me
    monte seu feitiço e - Siga-me
    Quer roubar um banco - Siga-me
    se não tem dinheiro - Siga-me
    Se ta condenado - Siga-me
    Si é retardado - Siga-me
    Fuja da policia e - Siga-me
    Longe da Justiça - Siga-me

    Vamos pedir mais orações aos evangélicos
    A guerra é turva, Jesus precisa estar bem perto
    Mãe Joaquina acenda o defumador
    Salve a fumaça, com aroma ou odor
    Alivia nossa dor
    Essa noite é de horror
    Feixe os corpos e as almas desses pretos
    Pretos pobres, pobres pretos,
    Diminua a nossa dor
    Louvação ao senhor
    São meia noite o black-out geral
    Sirenes, apitos, o breu é total
    Armas em punho, crianças dormindo
    Nos subestimaram, estão sorrindo
    Sangue nos olhos a noite chegou
    Não tem mais arrego, não tem caô
    Camelôs, coveiros, cozinheiros, pedreiros
    Carteiros, torneiros, padeiros, funkeiros
    Essa a nova e nossa construção
    Somos nós os guerreiros da revolução

    DEIXEM PRA TRAZ A NOSSA DOR
    DEIXEM PRA TRAZ O NOSSO AMOR
    Ladrão vá a um banco traga mais cofres
    Conte com a sorte, dê mais um bote
    Parem às guerras, vermelhos, terceiros
    Somos brasileiros não é só dinheiro
    Mais ideologia, menos conflitos
    Não façam de nós um grupo de risco
    O inimigo é outro, não ta na favela
    Basta olhar da sua janela
    Qual é seu partido preciso saber !
    PMDB, PT, Satã ou ou TC ?
    Si é for direita, não me contemplou
    Se for de esquerda, me ignorou
    Se for de bandido um caso a pensar
    Vou me filiar preciso arriscar
    Adestrador prepare os cães, não dê comida, ***
    Avise aos lobos a pele é branca e a carne é viva ***

    Aí neguim! sai do sinal largue a cocada
    Somos Zumbi da madrugada
    Se encontrar aquele loiro no caminho
    Pode atirar, leve seu sonho de menino
    Seu fazendeiro, não há mais tempo pra remorso
    Vou transformar seu paraíso em destroços
    Seu seringueiro essa batalha ta fechada
    Os bóias frias não querem saber de nada
    Seu Senador entregue o cargo
    VC é só mais um safado
    Seu julgamento chegou
    Nossa miséria o condenou
    Não dá pra pedir socorro
    É dente por dente, é olho por olho
    Se seu filho ta perdido - Siga-me
    Se você virar bandido - Siga-me
    Se não tem coragem - Siga-me
    Ser baleado Siga-me
    Se foi estuprada Siga-me
    Teve a alma afetada Siga-me
    Se vc tem câncer Siga-me
    Se vc tem lepra Siga-me
    Essa luta é racial
    Essa luta radical
    Ninguém se espanta
    Que é guerra santa
    É guerra preta, marrom e Branca
    Marca bobeira tú vira planta
    Eu sou ateu, protestante, Judeu
    Eu sou Masson, Rosa cruz, fariseu
    Sou do bonde do Macedo, vou sem medo
    Eu sou Jair de Ogum, estalo o dedo
    Sou a luz do universo em desencanto
    Ouça a voz do acalanto !
    É guerra sim, fala Tim !
    Há, se o povo Negro me pudesse ouvir !
    Não tem mais jeito
    Não tem refresco

    Não á tempo pra rever nosso respeito
    Não há cortina pra esconder o preconceito
    Não há mais como saber o que é direito
    Não faz sentido questionar se é desse jeito
    Só sei que a guerra começou
    Só sei que a chapa esquentou

    PASSAMOS QUINHENTOS ANOS PARA ENTENDER ESSE PAÍS
    SE QUISER QUE NOS ENTENDAM, SÓ QUEREMOS É SER FELIZ

    Maria dê veneno pra Rainha sua patroa
    Caiu à casa da coroa
    Caiu por terra a arrogância
    Viva a voz da ignorância
    Abra a porta e a panela
    Liga o som, abre a janela
    A favela vai entrar, obâ
    Um filme que vai começar
    Prepare a mesa prôs soldados
    Um bando de desesperados
    Estão famintos pra jantar
    Meninos de Rua que esta noite vão lutar.
    Já são mortos, parasitas, nada assusta
    Vão à guerra, vão de bucha
    Não pertencem ao lado bom mundo
    Ao um submundo vagabundo
    todos pretos, quase todos, de tão sujos
    Todos sujos, todos pretos tão imundos
    Deus vai nos perdoar, Deus vai nos entender
    Deus vai nos ajudar, chega de padecer
    De um Lado humanos, do outro, manos
    Todos desumanos
    Si tem maus fluídos - Siga-me
    Se você é orfa - Siga-me
    Si vive em desespero - Siga-me
    Se for violento - Siga-me
    Se for favelado - Siga-me
    Se for bóia fria - Siga-me
    Se o nome for Maria - Siga-me
    Se foi torturado - Siga-me

    Ódio não leva a nada
    Quem se afoga nada
    Quem não come nada
    Quem não vale nada
    Nós não temos nada
    Não somos de nada
    Não alcançamos nada
    Não Construímos nada

    Os carecas do ABC estão lá atrás entrincheirados ***
    A paz às vezes é assim.Tire os escalpos dos safados ***

    Brancos camaradas larguem as espadas
    Peçam arrego, chegou a madrugada
    Mãos ao alto, vocês perderam !!!
    Não mexam um fio se quer de cabelo
    Acabou o desafio, proibido pensar
    Sei o quanto é difícil aceitar
    Tenho a mão no explosivo – pá-pá
    Pronto pra detonar - pá.pá
    Um dedo no gatilho - pá-pá
    É melhor se entregar
    Essa guerra foi vencida
    Pense na despedida
    Que eu poupo sua vida
    Vocês não tem saída
    Faz seu último pedido
    Menos ser meu amigo
    Isso não faz sentido
    Sou herói, de bandido
    Os pretos vão te julgar
    Não precisa chorar
    Não precisa apelar
    Vamos te decepar
    Devolvam o samba e nossa cultura
    A Capoeira, e os blocos de rua
    A história queimada ou vendida
    A Morte é o fim, a guerra é a vida
    Não vamos ficar de boca fechada
    Calados sem fazer nada
    Aceitar o tempo passar
    Esperando a morte chegar.

    Teve o Braço decepado Siga -me
    Si está angustiado Siga-me
    Se você foi derrotado Siga-me
    Si é matador de tarado Siga -me
    Se o ódio ta na veia Siga-me
    Se perder sua visão Siga-me
    Se o caminho é contramão Siga- me
    Si quer a revolução Siga-me

    (Grito do Bill) :
    _ HAAAAAAAAAAiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

    (Bill chama sua mãe):
    _ MÃE !!! MÃE!!! MÃE!!!

    (Mãe do Bill) :
    _ Bill, Bill !!!! Calma, filho. calma, eu to aqui, calma, Eu to aqui com v/c

    ( Bill em voz baixa e reflexiva) :
    _ Mãe!!!

    (mãe responde no mesmo tom e mais singelo) :
    _ Sim filho, eu to aqui

    (Bill):
    _ Mãe eu tive um sonho horrível, eu sonhei que os pretos se rebelaram, que eles enfim, se revoltaram no mundo inteiro. Começaram aqui pelo Brasil, mas foi horrível. Foi uma grande guerra, muitas pessoas morreram, crianças, velhos, padres, pretos e brancos, muitas pessoas inocentes morreram. Foi horrível mãe.

    (Voz da mãe):
    _ E o que mais você lembra filho ?

    (BILL) :
    _ Eu não sei direito, era tudo muito confuso, tinha muita fumaça, muito ódio na cara das pessoas, havia muito desespero.
    Tudo muito sem sentido, foi horrível !!!
    Horrível!!!
    (A Mãe):
    _ Quem venceu a guerra filho?

    (BILL):
    _Os pretos, mãe
    Os brancos se renderam.

    (Mãe):
    _ Ta bom filho, fique calmo, já passou.
    Tudo isso só poderia ser mesmo um sonho, a paz vai reinar por toda a vida, e os pretos um dia vão lutar e vencer, mas sem derramamento de sangue. Deus é pai de todos nós. Agora volta a dormir menino.
    Vire para o outro lado e Você vai dormir melhor. Boa noite.

    (BILL) :
    _ Boa noite.
    (BILL) :
    _ Mãe !!! que horas são ?

    (Mãe) :
    _ Meia noite

    (BILL) :
    _ Que ?
    (Mãe) :
    _ Meia noite em ponto !!! reze e vai dormir.

    (Bill) :
    _ Ta bom, eu vou.
    Mas apague a luz e acenda uma vela por favor !!! Boa noite .

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de MV Bill

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.