• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Em 2006 eu avisei
    Se fechar no crime menino vai virar rei
    Deixando o bicho mais inconsequente
    Mais cabuloso, com mais maldade na mente
    O arrego, as ordens na mão de um moleque
    Tá filmando tudo, só fumando um beck
    Grau de peliculosidade maior
    Se for preso logo tá na rua, é de menor
    Tais na vielas e beco
    O arrego já foi pago, cuidado com cerco
    Já desentocou, saiu da toca
    Agora bate de frente com a polícia carioca
    Eles matam, mas também morrem
    Tão em desvantagem, trocam tiro, mas não correm
    (Não treme) Sente prazer
    Quando usa a violência pra acabar com a vida de um Pm
    Marraa de cão, as pistola mal cabe na mão
    Gente mais velha chama ele de patrão
    Pó, pedra, é o fim do caminho
    Tá plantado na boca, deixou de ser garotinho
    Agora manda matar, coloca o terror
    Arranca a cabeça de quem for delator
    Com mais facilidade pra mandar pra vala
    Garotos armados no bonde do mete bala
    Vira um bandido cruel
    Contabilizando a morte de um desafeto feito um troféu
    Pra mostrar que tá no jogo
    Enrola na cape, põe no microondas e manda botar fogo
    Vivência com pouca idade
    Cobrando quem lhe deve com requinte de crueldade
    Eu falei, eles não deram atenção
    O bicho ficou feio, armado e sem coração

    Jovem continua preto
    Vítima do gueto
    Contenção para proteção
    Jovem continua preto
    Vítima do gueto
    Os valores se perderam então

    Mais jovem, menos medo
    Entra nessa porra sabendo que morre cedo
    Se passa de 18 já sabe que tá fodido
    Enquanto é de menor se sente menos punido
    Pra botar seu produto pra vender
    Se os homi pegar, tá ligado, vai morrer
    Só se perder um dinheiro
    É a regra do jogo sujo que não tem parceiro
    Só negociante que já foi falcão, menor de rua
    Mas hoje é traficante
    Vender (Bota pra vender)
    Inconsequente (Programado pra morrer)
    Mata inocente (Olho grande no poder)
    Administrando a ganância, adrenalina de viver
    (Na pista) Varando a madrugada
    Tirando algumas vidas a troco de nada
    Problema social, criminal e penal
    Porque tem os menino bom e os menino mal
    Que tão pro que der e vier
    O coração ainda pulsa lá na sola do pé
    Já foi bucha, hoje é dono de boca
    Alguns por opção escolheram a vida loka
    Gerente que não quer perder o posto
    E mata com um sorriso no rosto

    Jovem continua preto
    Vítima do gueto
    Contenção para proteção
    Jovem continua preto
    Vítima do gueto
    Os valores se perderam então

    Letra enviada por Playlists Do Vagalume
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de MV Bill

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.