Arrisca

Muleca XIII


O que é mais fácil não é tão confiável
O que é agradável não é tão viável
Nem sempre onde passam é o melhor caminho
No que é fofinho nem sempre há carinho

Menos brilho, mais valor
Menos mimo, mais amor
Meu abismo me desabou
Peguei varias fichas e o jogo acabou

Não tem queda maior que a subida
Se jogar não é só pra suicida
Pra voar tem que dar uma caída
Tenta, se cair muda os planos, arrisca

Sobreviva a viajem, curta a vista
Não nada, no mar, predador vira isca

Se quem conquista já tá conquistado
A primeira vista, depois parcelado
Deixou à deriva vai pagar dobrado
Trocou exclusivo, curtiu no atacado

Quer bater as asas com os pés amarrados
Tá amarrado no marra do ego
No poder da mente o amor não é tão cego
Sermão já não tenho, perdão já não nego

Com foco me atenho, na fé, não me apego
Escrevo, desenho, registro, conservo
De longe estou perto, não entende, me enervo
Respiro, respeito, me acalmo e me rezo

Que seja feliz até quem desdenha o que eu prezo
If your god is my devil
Meu veneno vai ser o remédio
Que seja feliz até quem desdenha o que eu prezo

Peço desculpas desde já a quem quer que eu fira
Mas que eu possa ser sincera
ao menos a compor a lira
Expor o mais secreto e profundo
sem que a nada me refira
Nem sempre quem recebe a mensagem
é aquele que a inspira

Minha voz oculta em meio aos graves altos
Minha altura alterada pela medida dos saltos
Olhos, boca, pele
entre make ups, cremes, talcos
O ritmo da cadência
entre compassos sobressaltos

Toma de assalto, reage empolgado
Faz o que não faria
Instinto age, conforta
Não seja quem não serias

Preocupa o que pensa quem passa
Sociedade fria
Mas agora só nós dois sabemos
o que isso foi um dia

Onde o meu corpo sorria
E a minha luz te acendia
O que o molhar da chuva humilha
Adoece sem terapia

Porém possui força de sobra
e não espera o estender de mãos
Só que ao sair pela boca
a recebe uma multidão

Entretanto não encontra aquele
Que tanto teve em pensamento
Que trazia sempre a frente
Diante dos maus momentos

Que nunca foi mais importante
que os elementos da família
Contudo o que a mente cria
A filosofia conflita
E o coração possui razões
que a própria razão não explica

Quando um simples feixe de luz teu
fez em mim um filme inteiro
Quando numa gota na boca
eu engoli o oceano cheio
O abalo sentiste à beira
me explodiu bem aqui no meio
E o que me custou bem caro
não paga nenhum dinheiro

Onde foi lado certo o avesso
Por mais averso ao teu berço
O meio foi recomeço
E o passo perfeito o tropeço

Nem inconsciente me esqueço
Ao me diminuir me engrandeço
Não importa em qual endereço
Eu não serei presa nem peso

Se quem conquista já tá conquistado
A primeira vista, depois parcelado
Deixou à deriva vai pagar dobrado
Trocou exclusivo, curtiu no atacado

Letra enviada por Samantha Muleca

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Muleca XIII no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS