Página inicial > Samba > M > Moreira da Silva > A Nega da Gafieira

A Nega da Gafieira

Moreira da Silva

A Arte de Moreira da Silva


Em Cascadura, numa gafieira,
Tem uma nega que me admira
Até eu mesmo fico admirado
Pois, quando a jazz toca, a nega é quem me tira

(– Vamo dançá, Morengueira?)
(– O que é que há, minha nega? Segura aí, devagar!)

Seja choro ou samba de breque
A nega sai logo se sacudindo
Quanto termina a velha contradança
Eu estou com o corpo cansado e os ossos bulindo

Mas o culpado foi o seu Oscar
Que a enganou que ela sabia dançar
Pra se meter assim no meio de nosotros
Fazendo palhaçada e dando o que falar

Mas eu não estou aqui pra isso
Não vim ao baile para me cansar
Pois o meu corpo é muito franzino
E assim, dessa maneira, eu vou me acabar

Se eu gostasse de matar o meu corpo
Procuraria um batente pesado
Enfrentaria lá o cais do porto
Ou então uma pedreira, ou mesmo num roçado

E até mesmo a questão do namoro
Aconselhei-a a não pensar em asneira
Porque pra hoje eu tenho uma muito boa
Pr’ amanhã e pra depois está na geladeira

(Nega, pra lá, olha a rasteira. O nega, não te güento, essa tua axilose é de matar qualquer peruano).

Compositor: João Correia De Faria E Moreira Da Silva

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Moreira da Silva no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS