Neblina

Medievaz


Sinta o vento que vem de longe trazendo respostas para
nós que procuramos
Daqui de cima dá para se notar que a cidade não
consegue parar - cada vez mais -
Há um novo prédio que impede de ter minha visão do
horizonte


Não entendo por que o verde teve que ser trocado pelo
cinza
Tome um exemplo: Olhe ali!
No espaço vago de uma mansão onde suportaria várias
famílias desabrigadas mora apenas um burguês
solitário

E as suas paredes ecoam
Não tem com quem dividir
Toda sua ganância se tornou o seu fracasso

E é esse o Brasil desigual que não desperta a
consciência nas pessoas
É como uma neblina que impede de ver o outro lado da
montanha ou então como uma cegueira transmissível
São poucos que recomeçam do zero para ter paz!
Mas é difícil com alguém que só ostenta
Nas missões necessárias da vida ele não representa

Estou no alto do lado oposto
vejo luzes ninguém me vê
Seguindo a trilha, o nosso caminho
Fumaça que sobe o dia vai nascer
NEBLINA!

Ei! Pare e pense no que a vida tem para oferecer!
E são escolhas que vão te levar ao caminho

E no próximo dia, na próxima curva, estará lá
A neblina que impedirá de ver o outro lado.









Klaus xxx

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Medievaz no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS