A Saga

Maria Scombona


Eu vou cantar, vou contar
Para o povo de valor
Como é que se formou
Um artista popular
Um dia antes de eu nascer
Combinei com o meu guia
O que era que eu seria
Meu ofício de viver
D'estar que eu vou lhe dizer
ocê já é compositor
Nos versos um trabalhador
Mas pra mostrar os seus poemas
Vai se valer de muita teima
Pra um dia ser um cantor
E ele ainda me falou
Se não quiser cantar, não cante
Pra depender a cada instante
De quem de você se agrade
Caia dentro meu compadre
Vá você mesmo se virar
Acabar vou lhe contar
O cantor quem ganha fama
Quem compõe fica na lama
E ninguém ouve falar
Então no dia em que eu nasci
Um trovão no céu roncava
Com sete dias eu falava
Sete línguas diferentes
Alemão fluentemente
Espanhol, russo, francês
Inglês, árabe, japonês
No português já tô barbudo
Quinhentos anos de estudo
No Brasil e ainda não sei
Eu conversei com a minha mãe
Ainda na maternidade
Falei da minha vontade
Ser cantador de embolada
Cantar em feiras e calçadas
Para o meu povo sofrido
Ela sorriu do meu pedido
Meu fio você vai passar fome
Lasca a guela e o seu nome
Não vai ser reconhecido
Você tem que ser sabido
Se meter no rock� roll
Desse bicho ser cantor
Ir se bater em New York
Se rebole, cante, toque
Arrume logo uma galegona
Daquelas doidas cafonas
Mas não despreze o seu pedido
Junte quatro maluvidos
E forme a Maria Scombona

Compositor: Henrique Teles

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Maria Scombona no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS