Desanimado Não

Maria do Amparo


Rosto no pó, chuva de lágrimas,
Alma cansada já sem forças até pra lutar,
Um vendaval agita as águas,
E a nossa frente só o furioso mar,

E o crente aflito diz Deus eu não posso mais,
tô no limite e to sem forças até pra orar.
Fala comigo, preciso ouvir tua voz,
E no lugar de teu louvor, há murmurar.

Isso é normal irmão, esta situação,
Eu passo, você passa, é mesmo assim.
A vida é feita de bonança e também de aflições,
Mas quem tem Cristo tem promessa
E qualquer guerra vence o mal.

Luta é para crente, é para quem tem
Deus, quem quer salvação,
E quanto maior a luta, maior a vitória irmão.
Lute, profetize a queda do seu oponente,
Derrube as muralhas que achar na frente,
Teu Deus é valente e vai na direção.

Use da autoridade do filho de Deus que o inferno teme,
O inimigo treme diante do poder, diante da unção.
Levante, comece a marchar, erga a cabeça
agora, é a tua hora,
Deus quer te dar vitória,
Atribulado sim, desanimado não.

Compositor: Chiquinho Silva

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Maria do Amparo no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS