• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Era uma vez, um poeta muito pobre,
    Que vivia com dificuldade,
    Não tinha nada, só os versos que fazia,
    Noite e dia,
    Eram a fortuna do poeta...

    Porém um dia, o pobre gostou de alguém,
    De alguém, que desejava muito mais que amor,
    E o poeta coitado, passou a ser desprezado,
    Morreu de dor.

    E, esse alguém,
    Cai no abismo tão profundo,
    Deste mundo,
    Andou de mão em mão,
    Rolou, como as pedras pelo chão,
    E, por castigo também,
    O amor conheceu,
    Pra morrer, como o pobre poeta morreu....

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Marchinhas de Carnaval

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.