Página inicial > M > Marcelo Junckes > Pão E Circo

Pão E Circo

Marcelo Junckes


Pão e circo

Quem escreve as letras dessa poesia podre
Dia a dia a hipocrisia vem seduzir o teu bom senso.

Quem escreve as letras desse discurso inalterado
E arrasta o que se move, disfarçando o céu de inferno

Hei malandragem! Qual o teu preço em tempos ruins?

Não me convenceram com algumas verdades de origem duvidosa
E nem se quer me convidaram pra ser herói de um belo filme de terror
Ainda a pouco descobri que as fadas tinham
A inocência um tanto quanto perigosa
E que os valores pouco a pouco se coroem na acidez de algo vulgar

Eu sou um mero errante ando por bares onde as luzes me confundem onde as pessoas se encontram pra fazerem previsões
A cidade encobre os defeitos e mendigos enfeitam as ruas e debatem
Preconceitos suas causas e curas

Temos de sobra o que não podes comprar
Tenho um segredo que todos já sabem
Eu tenho um livro que não conta o final

Mas ao invés de seguir o suicídio coletivo dos meus ídolos
Usarei meus miolos primitivos dilatados
Pra cultivar algo superficial que embaralhe e confunda
Minhas únicas certezas
E esquecer que vivemos só de restos
E que somos o pilar que sustenta a corrosão

Ah! Eles nunca vão saber que essa canção
Eu compus na meia luz da poltrona de um convencional
Voltando da desgraça pra monotonia.

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Marcelo Junckes no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS