Página inicial > M > ManuBida > Provocação Alheia

Provocação Alheia

ManuBida


Olha quando eu canto você sente o peso
Pra você que esta no quarto se sentindo preso
Já está farto é um saco o tanto de povo leso
Sabedoria no ato te faz sair ileso
Dificuldade é um detalhe pra te deixar surpreso
De inimigos é fase de tanto desprezo
Amigos é incentivo (vai gabriel sem medo)
Até um elogio
De um desconhecido logo cedo
Onde eu contagio
Quem foi percebido e fui notado
Falaram que eu era bovm
E não foi um foi vários
Falaram: -lance o seu som
Venda um cd com 6 faixas
Entregue sem cobrar taxa
E não esqueça dos parcas
Lança seu vocabulário!
Deixa comigo sou mago
Leitura minha armadura
Garantia é o dicionário
Textura na folha nua
Foi no shopping né, tá lembrado?
Xingou, vacilou, tá errado
Passa a bola se controla otário
Estou apenas dando o meu passo
Sem cena se perdeu tá cansado
Sem pena não sou obrigado
Valeu! obrigado

No rap eu vou chegar
No rap eu vou atingir
E você sabe que eu não preciso fingir
Não preciso que comigo tu colabore
Mas quando ouvir meu som!
Porra! não ignore

Falei, rimei, ganhei
Eu sei, gostei também
Anunciado pelo dj
Então vem aprimorei
Do palco ninguém correu
o que se registrou morreu
Se perdi do seu amigo
Fizeram isso comigo
Cortaram meu microfone
É que mano eu sou o perigo
E curti canta contigo
Eu estou desinibido
Humildade, respeito equilíbrio
O rap é focado isso
E o nocivo enforcado nisso
Não queira ser meu inimigo
Que mano eu sou temido!
É a chronic420
É no rap no break no beat
É a arte que ainda persiste
A cultura que te segura
Sepultura da sua fissura
Uma mídia de ditadura
Busca a vida em meia loucura
E quem lembra de raiz
Minha vida é por um triz
Isso é vantagem não é viagem
Necessita de coragem
Deixando a favela feliz
Foi sabotagem que diz foi sabotagem

No rap eu vou chegar
No rap eu vou atingir
E você sabe que eu não preciso fingir
Não preciso que comigo tu colabore
Mas quando ouvir meu som!
Porra! não ignore

O tempo voa de uma forma forma
Enquanto eu vou embora
E a vontade me transforma
Alguém zoa ou provoca
Aceitando a derrota
Ícone vendido?
Se sente ofendido?
É algo inofensivo
Fique então defensivo
Seu nome rima com isso
Não quero arrumar inimigo
Logo de cara prepara
Misso me inspira e pira
Voz que dispara e fala
E também sempre judia
Uma tempestade na base
Que nunca para não pare
Que nunca pede as pazes
No peito não cabe
Vontade se sabe
É só uma fase
Uma vocação uma colheita
Sem provocação alheia
Então se informe ou leia
Não transforme em queixas
Quem consegue críticos
Tem algo a ser invejado
E é íntimo não é notícia
Nem história fictícia é o início
Nãofalo de justiça ou vício
Eu falo de cobiça e preguiça
O rap me instiga e atiça
Dispensando qualquer estatística
Então eu deixou meu rastro
Em qualquer tempo vasto
Oportunidade não afasto
Nessa cidade eu faço
Mais o que digo porém
Ajoelhou, rezou amém
Eu preciso do bem, respeito é para quem tem
Foi sabotagem que diz, foi sabotagem

No rap eu vou chegar
No rap eu vou atingir
E você sabe que eu não preciso fingir
Não preciso que comigo tu colabore
Mas quando ouvir meu som!
Porra! não ignore

Letra enviada por ManuBida

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a ManuBida no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS