Måneskin

La Paura Del Buio (tradução)

Måneskin

Teatro D'ira - Vol.I


Medo do Escuro


Ouço mil vozes que falam, mas não escuto o que dizem

Me olho no espelho e imagino que estou no circo

Num carrossel de felicidade e não quero descer

Mesmo que eu não me divirta mais

Às vezes me sinto um milagre e outras vezes ridículo

Depois perco a cabeça por um instante, mas não diga por aí

Estou fora de mim

Estou fora de mim


E então me prenda, me morda, me tire tudo

Continuarei a não ter medo do escuro

Mesmo quando estiver no chão, destruído

Continuarei a não ter medo do escuro

Então me cuspa, arranque minhas roupas

Continuarei a não ter medo do escuro

Então me compra, me venda, me faça de tudo

É somente você que tem medo do escuro

Nós não, nós não, eu não, eu


Preparo minha valsa com o diabo

Desde que eu era pequeno

Pode me chamar de louco, bastardo, doente

Eu brindarei a isso com vinho

Sim, brindarei a você

Sim, brindarei a você

Porque sei que mesmo se me odiou

Cantará o meu nome


E então me prenda, me morda, me tire tudo

Continuarei a não ter medo do escuro

Mesmo quando estiver no chão, destruído

Continuarei a não ter medo do escuro

Então me cuspa, arranque minhas roupas

Continuarei a não ter medo do escuro

Então me compra, me venda, me faça de tudo

É somente você que tem medo do escuro

Nós não, nós não


Você voltará pra mim com o ar cansado

Vai carregar os cortes nos braços

Ela permaneceu sozinha no barco

Reconheço os sinais no seu rosto

Você voltará pra mim com as mãos postas

Você voltará pra mim


Você voltará pra mim com as mãos postas

Você voltará pra mim

Você voltará pra mim com as mãos postas

Você voltará pra mim

La Paura Del Buio


Sento mille voci che parlano, ma non sento che dicono

Mi guardo allo specchio ed immagino di essere al circo

Su una giostra di felicità e non voglio andare giù

Anche se non mi diverto più

A volte mi sento un miracolo e a volte ridicolo

Poi perdo la testa in un attimo, ma non ditelo in giro

Son fuori di me

Son fuori di me


E quindi prendimi, mordimi, toglimi tutto

Continuerò a non avere la paura del buio

Tanto quando sarò giù per terra distrutto

Continuerò a non avere la paura del buio

E quindi sputami, strappami i vestititi di dosso

Continuerò a non avere la paura del buio

E quindi comprami, vendimi, fammi di tutto

Sei soltanto tu ad avere la paura del buio

Noi no, noi no, io no, io


Preparo il mio valzer col diavolo

Da quando son piccolo

Puoi darmi del pazzo, bastardo, malato

Io ci brinderò sopra col vino

Sì, brinderò a te

Sì, brinderò a te

Perché so che anche se mi hai odiato

Canterai il mio nome


E quindi prendimi, mordimi, toglimi tutto

Continuerò a non avere la paura del buio

Tanto quando sarò giù per terra distrutto

Continuerò a non avere la paura del buio

E quindi sputami, strappami i vestititi di dosso

Continuerò a non avere la paura del buio

E quindi comprami, vendimi, fammi di tutto

Sei soltanto tu ad avere la paura del buio

Noi no, noi no


Tu tornerai da me con l'aria stanca

Porterai dei tagli sulle braccia

Sei rimasta sola sulla barca

Riconosco i segni sulla faccia

Tu tornerai da me con le mani giunte

Tornerai da me


Tornerai da me con le mani giunte

Tornerai da me

Tornerai da me con le mani giunte

Tornerai da me


Compositor: Damiano David, Victoria de Angelis, Ethan Torchio, Thomas Raggi

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

ÚLTIMAS

ESTAÇÕES