Lisandro Amaral
PĂĄgina inicial > L > Lisandro Amaral > Algum Dia Milagreiro

Algum Dia Milagreiro

Lisandro Amaral


Alma de fronteira...derramou garoas em prantos iguais
Aos índios que o tempo mostrou,junto ao vento, razÔes de chorar
Em pontas de lanças, a velha esperança e um grito voraz!!!
Tombaram vaqueanos, pecado humano
Que a histĂłria sepulta em tempo de paz
E o vento minuano...Ă© o mesmo de outrora rondando na pampa,
Mudaram estampas, chegaram bandeiras e um tempo – sem paz!!!
Rezaram humanos, mas outros vaqueanos sangraram por terras...
Pecado aos homens, a ganĂąncia consome
E sepulta sem nome com fĂșria voraz!
Minha alma endurecida se moldou a voz do vento
E a paisagem consumida tem cançÔes presas por dentro
Algum dia milagreiro abro o fole e curo a alma
Contemplando a noite calma – ergo a paz num chamamĂ©
Sonho peregrino...sob o teu destino esquecemos da fé,
E aos olhos do vento não temos mais tempo nem força no andar...
A vida é um lança e a velha esperança é um grito voraz
Cansaram humanos, dos tantos vaqueanos
Que aos olhos do povo mataram a PAZ...

Composição: Lisandro Amaral E Julio Cesar Fróes

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Lisandro Amaral no Vagalume.FM

Mais tocadas de Lisandro Amaral

ESTAÇÕES
ARTISTAS RELACIONADOS