Tua

Liniker e os Caramelows

Remonta


Pensei numa canção, meu bem
Que falasse de amor, então vem cá
Me dá um beijo que eu quero
Teu cheiro grudado no meu edredom

Me ensino a ter paciência, ciência
Que instiga o meu eu
Já foi, quero andar por aí
Descalça, sem nada ao lado de um vinho bom

Deitado na mesa de um bar
Reconheço o teu cheiro ao entrar
Que me deixa louca, rouca
A moça não vai aguentar

Parapa, papa, paaaaa

Pensei numa canção, meu bem
Que falasse de amor, então vem cá
Me dá um beijo que eu quero
Teu cheiro grudado no meu edredom

Me ensino a ter paciência, ciência
Que instiga o meu eu
Já foi, quero andar por aí
Descalça, sem nada ao lado de um vinho bom

Deitado na mesa de um bar
Reconheço o teu cheiro ao entrar
Que me deixa louca, rouca
A moça não vai aguentar

Parapa, papa, paaaaa
Parapa, papa, paaaaa

Tua ah, tua ah, tua ah, tua ah

São cinco versos, seis ou mais
Que me fazem querer mudar
Tiro a roupa, com o riso acanhado, meu bem
Me chame de tua...

São cinco versos, seis ou mais
Que me fazem querer mudar
Tiro a roupa, com o riso acanhado, meu bem
Me chame de tua...

Tua ah, tua ah, tua ah, tua ah
Tua só...tua ah...

Tiro a roupaaa...

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Liniker e os Caramelows no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

ESTAÇÕES