Página inicial > MPB > L > Léo Pinheiro > Comedor de Calango e O Gerente da Multinacional

Comedor de Calango e O Gerente da Multinacional

Léo Pinheiro


Na minha infância eu comia calango vivo
Comia calango seco, comia calango lá
Na minha infância eu comia calango vivo
Comia calango seco, comia calango lá
Era buchudo que nem baiacu virado
Meu joelho era inchado de eu tanto caminhar
Mas no que a fome me batia era cegueira
Eu saía a fazer poeira
Pra caçar calango lá
Bicho ligeiro anda virado na cachorra
Corre mais do que uma porra
Era impossível de alcançar
Era preciso um bocado de inteligênça
As armadilha e a paciênça
Pra mode a gente almoçar
Matava o bicho com uma pedrada na cabeça
E pendurava ele na cerca
Pra carne poder secar
E a carne seca eu comia com macaxeira
E espantava a mosca bicheira
Que queria o meu jantar
Mas êita que é agora que eu me espalho
Que plantaram um festifude
Bem no meio do sertão
Larguei a calangada do balaio
E me juntei à fila armada
Pra fazer a refeição
Big calango com alface, queijo, pão com gergelim
Suco de xiquexique e eu sem capital
Pois é que agora nem caçar a gente pode
Porque foi privatizado pela multinacional
Acontece que o gerente do franxaize
Que contrata funcionário
Ouviu falar do meu norrau
E hoje eu ando caçando calango tanto
De frilance pago um lanche com o salário semanal
Deus me dê grana pra eu poder casar com ana
Me dê poupança pra eu comprá-lhe as alianças
Sucesso pra eu me adaptar ao progresso
Caçando calango tanto, caçando calango lá
Caçando calango tanto, caçando calango lá

Compositor: Maurício Baia, Tonho Gebara, Ana Amélia Betrami

Letra enviada por Renato Araújo

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Léo Pinheiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS