Página inicial > MPB > L > Léo Pinheiro > Bar do Balacobaco

Bar do Balacobaco

Léo Pinheiro

Léo Pinheiro Canta Arnaud Rodrigues


Bebo e não pago
No bar do Balacobaco
Foi um deus, foi um baco
Que pagou pra eu beber
Gosto do gosto
Desse tal de tira gosto
E guarde um pedaço pra mim
Que eu to disposto pra comer

E o bar do Belinho ta lotado
E um bebum bebe cana no balcão
E tá rolando um som de embolada
É Vicente e Dilzinho no salão, lá no salão

Se eu der um tombo, se eu der outro a serra vira
Cai dentro da macambira, eu corro mais do que preá
Eu dou um pulo e é tamanha ligeireza
Eu quebro tamborete, mesa e cadeira de balançar
Quero beber, quero pagar sem dar vexame
É batata, cebola, inhame, é macaxeira do pará
Você precisa ir na fazenda do azeite
Onde cabra não dá leite e bode velho da mamá

Tatarubola, tataru também consola
Na bola do mundo inteiro
Na bola você não dá
Sou esquentado e não monte no meu cangote
Se montar, leva chicote e morre doido de apanhar
Taratata, eu sou irmão de Ludugero
Que abriu um cemitério com a ponta de seu punhar
Você não dá, não dá, você não vê, não viu
Quando o macaco subiu fazendo pelo sina

E vindo de Serra Talhada eu passei em Santa Rita
E me deram um laço de fita pra eu botar no meu ganzá
Repara mesmo é meu ganzá meu ganzá lindo
E segura a bola menino e bote a cadeira pra lá
E bate lá com seu dinheiro e mande fazer um ganzá
Mas diga a ele que não faça ganzá gogo
Que eu to pondo no pescoço e pode balalança

Compositor: Arnaud Rodrigues

Letra enviada por Renato Araújo

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Léo Pinheiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS