Khorium
Página inicial > Hardcore > K > Khorium > Punhos Erguidos

Punhos Erguidos

Khorium

Forças Opostas


Eu relembro Canudos
Eu invoco Palmares
E todas as vozes que ousaram
Dizer não às garras sujas da opressão
Dizer não às garras sujas da opressão

Eu levanto a cabeça e o olho adiante
Com a firmeza de Alende
O legado de Chico Mendes
A fé e esperança de Dorothy Stang
A fé e esperança de Dorothy Stang

A poesia perseguida de Neruda
Pulsa o sangue nas veias abertas
Da Latinamerica
Não venceram Marighella
Não deteram Marielle
Como a hidra de lerna
Sempre aumenta uma cabeça
Voltamos mais fortes
Mais 1, mais 2, mais 3
A resistencia somos nós, sou eu, são vocês
Vem o golpe
Eu esquivo, sem perder a leveza
Sem amargar, pra irritar ainda mais
Quem só sabe de ódio
Quem não sabe amar
Porque nós vamos lutar
Sempre lutamos, 520 anos
Sem deixar a sombra apagar
A luz, a chama
Vamos queimar
Vamos queimar

Que eu possa ser forte
Que eu possa ser justo
Que eu seja invisível
Pras flechas de ódio
Dessas sementes do mal
De alma pesada e coração sujo

Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo

Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo

Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo



Pulmões de aço advindo de Volta Redonda, Rio de Janeiro
Falo da crise política e respiratória que atinge o pulmão do mundo inteiro
Convoco a todos os X-Men
Os verdadeiro guerreiro do front
Hey black man!
Toda atenção na rua quando tiver com seu walkman
Guarde também seu guarda-chuva falo isso pro seu próprio bem!
Nossa maior forma de resistência é nos mantermos na existência, amém!

Me inspiro nos mesmos que inspiraram Stan Lee... (King, Malcom)
Porém sem máscaras não ando como Stanley Ipkiss

A revolução
Nunca será televisionada
Pois ela jamais será considerada nobre pelos nobres miseráveis que comandam o planeta
Em minhas gavetas não há mais panos pras mangas
So molotov enquanto o circo pega fogo assisto tudo através da luneta
Venho de um outro planeta, tipo Sun Rá, por isso ainda me assusta como as coisas aqui sao feitas
A mãe que é preta reza pro seu filho não sangrar!

Por isso eu luto mesmo de luto
A luta não para, e ela te prepara
Pra nunca parar!

Por isso eu luto mesmo de luto
A luta não para, e ela te prepara
Pra nunca parar!

Por isso eu luto mesmo de luto
A luta não para, rapá! Ela te prepara
Pra nunca parar!

Por isso eu luto mesmo de luto
A luta não para, e ela te prepara
Pra nunca parar!


Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo

Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo

Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Punhos ao ar, queixo erguido
Coração tranquilo
Espirito combativo


O que vai ser de nós?
Quem vai ficar pra trás?
E quem vai lutar?

Quem vai esconder sua voz
Em uma falsa paz
Ou enfrentar?

O que vai ser de nós?
Quem vai ficar pra trás?
E quem vai lutar?

Quem vai esconder sua voz
Em uma falsa paz
Ou enfrentar?

Composição: G. Moreira

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Khorium no Vagalume.FM

ESTAÇÕES