Engañando Al Olvido (tradução)

Jose Andrea


Hoje quero ensinar


A minha solidão

A viver sem esperar

Propinas por amar.


Há tanto de mim

Que quer chorar

Mas minhas lágrimas vendi

Entre as pernas

Entra as pernas

De um bar.


E cada noite meu amor,

Guiado ao esquecido fazia colchão

E paro beijos sem calor,

Em um corpo,

Ceio com minha dor,

Desjejuou minha compaixão

E engano ao esquecido meu amor!

Com um corpo.


Hoje me visitou a qual um dia fui

E o espelho me contou

Que a tristeza não é sem fim.

E se haver de viajar, que não pare mais

Não

No dobro da fila minha paixão

Só em teus braços

Só em teus braços

E só por amor.


E cada noite meu amor,

Guiado ao esquecido fazia colchão

E paro beijos sem calor,

Em um corpo,

Ceio com minha dor,

Desjejuou minha compaixão

E engano ao esquecido meu amor!

Com um corpo.


A ironia é a tristeza que

Ao não saber chorar

Sorri quando quer falar

E se a vida nos dá outra oportunidade,

Volte a fazer amor.

Engañando Al Olvido


Hoy quiero enseñar a mi soledad a vivir sin esperar propinas por amar. Hay

tanto de mi que quiere llorar pero mis llantos vendí entre las piernas de un

bar. Y cada noche mi amor, conduzco al olvido hacia un colchón y aparco

besos sin calor, en un cuerpo.

Ceno con mi dolor, desayuno mi compasión y engaño al olvido ¡mi amor! Con un

cuerpo. Hoy me visitó aquel que un día fui y el espejo me contó que la

tristeza no es el fin. Y si he de viaje, que no aparque más en doble fila la

pasión, sólo en tus brazos y sólo por amor. Y cada noche mi amor, conduzco

al olvido hacia un colchón y aparco besos sin calor, en un cuerpo.. Ceno con

mi dolor, desayuno mi compasión y engaño al olvido ¡mi amor! Con un cuerpo.

La ironía es la tristeza que al no saber llorar sonríe cuando quiere hablar.

Y si la vida nos da otra oportunidad, volveré a hacer el amor

































Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS