Costeiro

Jorge Guedes e Família


Eu não pedi, eu não pedi
Pra morar junto das barrancas do uruguai
Aqui nasci aqui cresci
Pois este rio é como se fosse meu pai
O manto verde costeando as águas prateadas
Que sem saber levam romance nos remansos
Enquanto o velho pescador atira a linha
Puxo farinha sou chibeiro e não me canso

Sei que é arriscado e perigoso o contrabando
Mas eu só vivo se puder contrabandear
Não sei se é vicio ou amor pelo perigo
Que assim que chego dá vontade de voltar
Eu não pedi, eu não pedi
Pra morar junto das barrancas do uruguai
Aqui nasci aqui cresci
Pois este rio é como se fosse meu pai

A noite toda em companhia de tuas águas
O dia inteiro com tuas águas conversando
Eu te pertenço e tu faz parte do meu mundo
Contra as marés da vida nós vamos remando
Enquanto canto teus encantos velho rio
Lembro o piazito calça curta pés no chão
Meio sestroso de chegar até as barrancas
Por que disseram que aparece assombração

Hoje este medo já se foi águas abaixo
Nas mesmas águas o meu canto também vai
Mas o piazito renasce todas as noites
Numa chalana atravessando o uruguai
Eu não pedi, eu não pedi
Pra morar junto das barrancas do uruguai
Aqui nasci aqui cresci
Pois este rio é como se fosse meu pai

Letra enviada por Playlists do Vagalume

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Jorge Guedes e Família no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS