Página inicial > MPB > J > João Vilarim > Ao Longo Das Eras

Ao Longo Das Eras

João Vilarim


A boca da noite sugando o meu tempo
Calando as palavras usando o seu fe1
A brisa marinha roubando o meu vento
Querendo mandar uma onda de mel
Causando a vida tirando o sossego e vem
Modelar um ventre usando o meu bem
Provando dos sonhos daqueles que já o contém
Quero ver da minha semente brotar
Lambuzando o chão como quem deveria
Cumprir consciência apagando o mal
Inventar palavras, dizer poesia
Caminhos pra um homem tornar-se imortal
Vagando nos anos procriando o amanhecer
Fazer-se em eras viver e morrer
Travando as batalhas assim como um ancestral
Quero ver da minha semente brotar
Cravando o estandarte no topo do mundo
Azul cintilante da cor de seu céu
Conquistar no espaço um sono profundo
Até quando o futuro conservar-lhe o véu
Privar-se das asas usando volitação
Espalhar sua poeira ao longo do chão
Estradas que passam por toda sua geração
Quero ver da minha semente brotar

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a João Vilarim no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS