Yara

Jean Roberto Barbosa


Yara princesa do mar
Trançava esperança nas ondas
Mas seu coração insistia
E buscava um olhar pelo pampa

Num campo de lida e suor
Bonifácio é centauro afamado
Mas traz no semblante uma angústia
E uma solidão ao seu lado

Ao cruzar do campo pro mar
Bonifácio Yara avistou
Bastou uma troca de olhar
E o tempo pra tudo parou

Seria a história a juntar
Dois mundos num só coração
Nas diferenças da vida
Um amor sem explicação

No balanço das redes a sina
Casamento dentro do povoado
Seu destino era viver na praia
Com José herdeiro do pescado

Bonifácio do campo era rei
Domador, senhor da lida com o gado
Mas foi se perder de amores
Pela sereia do povoado

Quis o destino unir
Estas almas tão diferentes
Mais fugir era a única forma
De ter uma noite ardente

Mal sabiam os felizes amantes
Que esta noite seria imortal
O povo de Yara armara
A emboscada e o tiro fatal

Tombou Bonifácio pelo campo
Lavando de rubro o capim
Yara com o punhal da paixão
Sem piedade pos na vida um fim

Buscando o convívio eterno
Yemanja com suas águas lavou
O sangue sujo da terra
E São Pedro os abençoou

Na terra dois mundos tiveram
No céu somente era um
Ao lado de Deus descansaram
E viveram esse amor incomum

Yara princesa do mar
Bonifácio centauro sem rumo
O amor foi fatal nesta vida
Mais eterno em outro mundo.

Compositor: Jean Roberto Barbosa

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Jean Roberto Barbosa no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS